Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Segurança é reforçada para amistoso da seleção olímpica em Goiânia

Preocupação é tentativa de ataques terroristas na cidade

Almir Leite - Enviado Especial a Goiânia, O Estado de S.Paulo

28 de julho de 2016 | 07h20

Todo jogo da seleção brasileira, seja ela principal ou olímpica, exige a elaboração de um plano de segurança para a delegação. Além da própria segurança particular, contratada pela CBF, há a ação das forças públicas – Polícia Militar, Civil, Rodoviária e guardas municipais. Hotéis, estádios, locais de treinamentos e trajeto são inspecionados e todo deslocamento é protegido por batedores. Em Goiânia, local do jogo amistoso do próximo sábado contra o Japão, não é diferente. Mas desta vez a atenção está ainda maior.

Existe a preocupação até com ações terroristas. Por isso o policiamento foi reforçado e no hotel e no estádio Serra Dourada há varredura do policiais especializados em explosivos. No início da noite da quarta-feira, por exemplo, homens do Batalhão de Operações Especiais (Bope) goiano fizeram uma varredura minuciosa em todas as dependências do AlphaPark, localizado no elegante bairro de Alphaville. A delegação chegou no início da madrugada desta quinta-feira, recebida por um grupo de não mais de 50 pessoas.

O Estado apurou que durante a estada da seleção em Goiânia, 25 policiais militares farão a segurança no hotel e arredores. O próprio estabelecimento colocou seis de seus funcionários da área a serviço da seleção. Também haverá os seguranças da CBF.

Uma das preocupações é com o treino no Serra Dourada que tiver presença de torcida. O policiamento no estádio terá efetivo aumentado. O treinamento desta quinta-feira, no entanto, deverá ser fechado aos torcedores. A outra atividade no local é na tarde de sexta-feira.

O hotel, um prédio de três andares inaugurado há um ano e meio, foi fechado pela CBF para receber a seleção brasileira (ocupa dois andares) e também a japonesa. Tem 142 apartamentos de 20 m². Há três suítes de 50 m², que têm antessala e hidromassagem. A diária, em dias normais e avulsas, são de R$ 230,00.

A direção do hotel adaptou um espaço para servir de restaurante para os japoneses – que de diferente só pediram reforço do arroz no café da manhã. Os brasileiros usarão um outro restaurante, mais espaçoso, e também terão direito a uma sala onde poderão receber parentes e amigos.

O Brasil ficará no local até a noite de domingo – que, aliás, será dia de folga, a segunda e última antes da estreia na Olimpíada, dia 4 de agosto, contra a África do Sul, no Mané Garrincha. A viagem para Brasília está marcada para a noite de domingo. O trajeto será feito de ônibus, que terá a escolta da Polícia Rodoviária.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.