Seis brasileiros garantem vaga na Olimpíada no GP Brasil

Jadel Gregório confirmou sua vaga e Zenaide Vieira foi a grande surpresa entre os que se classificaram

O Estado de S. Paulo

18 de maio de 2008 | 17h12

O Grand Prix do Rio terminou neste domingo, no Estádio Célio de Barros, com mais seis atletas classificados para a Olimpíada de Pequim, em agosto – mas como o prazo para fazer índices termina somente em 20 de julho essa é uma lista que ainda pode mudar. O principal resultado foi conseguido por Zenaide Vieira, numa prova em que o Brasil não tem muita tradição, os 3.000 m com obstáculos. Zenaide atingiu o índice A, com o tempo de 9min42s10, novo recorde sul-americano e medalha de bronze. Terminou atrás da etíope Zemzem Ahmed (9min32s53) e da jamaicana Mardrea Hyman (9min41s68). Para ir a Pequim os atletas precisam do índice A esse ano, ou repetir pelo menos o B para quem já fez o A no ano passado. "Eu esperava fazer uma boa prova, melhorar meu tempo, mas não imaginava que ia conseguir o índice, ainda mais com o recorde sul-americano. Minha programação era para atingir o índice em Belém (domingo)", disse Zenaide. Se Zenaide fez o índice pela primeira vez, Jadel Gregório – que perdeu o salto triplo para o cubano David Girat, por um centímetro – confirmou o índice A (já tinha feito no ano passado) e a vaga para a Olimpíada. Jadel levou a prata com um salto de 17,27 m, seu melhor resultado no ano. Girat saltou 17,28 m. O pódio foi completado por Leevan Sands, de Bahamas, com 17,16 m. Outro que deixou o Rio na lista dos classificados para Pequim foi o velocista Sandro Viana, com vitória e índice A nos 200 m (20s55). O índice fixado pela Associação Internacional de Federações de Atletismo (Iaaf) é 20s59. Bruno Tenório dos Santos é outro que tem vaga nos 200 m (com o tempo de 20s47, feito em São Paulo esse ano). No Rio, Bruno foi desclassificado da prova. Anselmo Gomes também confirmou presença na seleção brasileira ao vencer os 110 m com barreiras em 13s67, superando o índice B exigido (que é de 13s72). Já tinha o índice A, feito no ano passado (13s52), no Meeting de Salamanca. O Brasil festejou outro classificado: Fabiano Peçanha, nos 800 m rasos foi o 4º colocado, com 1min46s88. Fez o índice B (1min47). Como já havia superado o índice A (1min46) em 2007, a vaga em Pequim foi assegurada. O Brasil já tem Klébeson Davide na distância. Ontem, Davide foi sexto (1min47s66). A prova foi vencida pelo queniano Ismael Kombich (1min46s04). O sexto atleta que confirmou presença em Pequim no Rio foi Erivaldo Vieira, no salto em distância, prata (8,05 m). O ouro ficou com o campeão mundial, o panamenho Irving Saladino (8,39 m). BEM PERTO Rosângela Santos terminou o GP do Rio mais perto da Olimpíada nos 100 m rasos. Com 11s41 fez o índice B (11s42), em segundo na prova, vencida pela jamaicana Shelly Frazier (11s32). Mas ainda terá de confirmar a vaga até 20 de julho porque Lucimar Moura, que ficou em terceiro no Rio (11s83) tem o índice A (11s32), feito no ano passado. RECORDES O GP do Rio ainda terminou com recorde do torneio quebrado pela eslovaca Martina Danisová-Hrasnová, no lançamento do martelo, com a marca de 71,06 m (a marca anterior, de 68,97 m, pertencia à cubana Yipsi Moreno desde o ano passado). Esta distância é 2,09 m superior ao índice A (69,50 m) para os Jogos Olímpicos. Maurren Maggi também venceu o salto em distância com recorde do torneio (6,91 m) e a segunda melhor marca do mundo na temporada. "Não esperava saltar tanto agora, pois ainda estou na fase preliminar de treinamento para a Olimpíada."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.