Seleção feminina de ginástica já comemora classificação olímpica

Apesar de a vaga por equipes ainda não estar confirmada, a equipe feminina de ginástica do Brasil saiu da Arena Rio, onde está acontecendo o Pré-Olímpico, comemorando e já prevendo a participação nos Jogos do Rio. O motivo foi a excelente nota alcançada (226,477), resultado que daria ao País a quarta colocação nos dois últimos Mundiais.

Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

17 de abril de 2016 | 17h12

"Nosso objetivo é colocar as meninas nas finais (dos Jogos). A gente tem chance de melhorar, a Rebeca (Andrade) está voltando e pode fazer muito mais do que fez hoje (domingo)", comentou Alexandre Carvalho, um dos técnicos da equipe feminina. "Essa é uma equipe que, se a gente aproveitar os três meses, pode fazer uma competição tão boa como essa ou até melhor."

Aliviada, como ela mesma definiu, Jade Barbosa quer ir além. "É o momento da ginástica feminina. Aqui é onde a gente mais tem chance de medalha", afirmou a ginasta. "É a primeira vez que a gente compete com a nossa equipe dos sonhos, a mais talentosa. Foi um ciclo muito difícil", lembrou Jade, fazendo referência à série de lesões que afastou atletas por longos períodos e até mesmo as dificuldades que a seleção encontrou para encontrar locais de treinamento.

O fato de o Brasil ter começado sua apresentação no Pré-Olímpico pela trave trouxe preocupação para a equipe técnica. "A gente ficou um pouco preocupado com o público. É no Brasil, existe uma cobrança e nós começamos num aparelho que exige muita precisão. Se você ficar um pouquinho nervoso, você pode ter quedas", explicou Alexandre Carvalho. "Por isso escolhemos a Dani (Hypólito) para abrir a série, porque ela é uma das mais experientes." Daniele foi bem, alcançando a marca de 14,166 pontos.

Rebeca Andrade, que voltou a competir em fevereiro após longo período de recuperação de uma cirurgia no joelho direito, foi o grande destaque nas barras assimétricas. Ela marcou 14,400 pontos. Mas, em agosto, quer mais. "Espero que para a Olimpíada eu consiga dificultar minhas séries para todo mundo ficar com medo de mim."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.