Yves Herman/Reuters
Yves Herman/Reuters

Seleção feminina de vôlei projeta dificuldades contra a China nas quartas

Mesmo sem perder sets até aqui, equipe demonstra preocupação com a qualidade das asiáticas

Ciro Campos, enviado especial ao Rio, O Estado de S.Paulo

15 Agosto 2016 | 08h18

Depois de uma vitória confiante contra a Rússia, a seleção feminina de vôlei já está com a cabeça no seu próximo confronto na olimpíada, contra a China, pelas quartas de final. O estilo de jogo asiático, rápido e com grande movimentação, já preocupa técnico e jogadoras. O confronto foi definido após sorteio. A partida eliminatória acontece na próxima terça-feira, às 22h.

“Não tem essa de achar que não perdemos nenhum set. Acabou, já virei a página. Estou pensando na China e na preocupação que vamos ter que parar algumas das melhores jogadoras”, disse o técnico José Roberto Guimarães, após a partida da noite deste domingo.

Se passar pela China, a equipe da casa terá pela frente o vencedor do encontro entre Coreia do Sul e Holanda. Já Estados Unidos e Japão vão encontrar na semifinal quem avançar da partida entre Rússia e Sérvia.

A China passou para a fase eliminatória na última vaga do Grupo B. Ainda assim, para o técnico brasileiro, as adversárias são “carne de pescoço”. “Comecei a competição pensando time a time, degrau a degrau. O próximo é carne de pescoço. Esse cruzamento é cruel e difícil, pode preparar o coração”, completou José Roberto Guimarães.

A meio-de-rede Thaísa relembrou que no último encontro com a China, em junho, pelo Grand Prix, o Brasil perdeu por 3 sets a 0. "A China é um adversário bem complicado e perigoso. A equipe é muito rápida, tem um estilo de jogo bem diferente do nosso. Temos que usar a torcida a favor, fora a nossa confiança, que está muito alta nesses últimos jogos", afirmou a bicampeã olímpica.

A jogadora evitou fazer previsões sobre os próximos confrontos do Brasil no caminho até a final. A meta será pensar jogo a jogo. "Não podemos escolher adversário, nem ficar pensando lá na frente. Não ter perdido set não quer dizer nada, porque agora começa um outro campeonato", comentou. A equipe da casa vai decidir vaga na semifinal na terça-feira, mesmo dia das três outras partidas do mata-mata, às 22h.

PARTICIPE

Quer saber tudo dos Jogos Olímpicos do Rio? Mande um WhatsApp para o número (11) 99371-2832 e passe a receber as principais notícias e informações sobre o maior evento esportivo do mundo através do aplicativo. Faça parte do time "Estadão Rio 2016" e convide seus amigos para participar também!

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.