Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Seleção feminina perde para o Canadá e fica sem o bronze no futebol

Brasil é dominado por rival e sai do Itaquerão derrotado por 2 a 1

Vítor Marques, O Estado de S. Paulo

19 de agosto de 2016 | 15h08

A seleção feminina lutou, tentou buscar um jogo que parecia perdido e ficou perto de levar a decisão do 3º lugar para a prorrogação. Mas não deu. Nos 15 minutos finais, o Canadá segurou a pressão - das brasileiras e da torcida que lotou o Itaquerão - e venceu o Brasil por 2 a 1, conquistando a medalha de bronze do futebol nos Jogos Olímpicos.

Prata nos Jogos de Atenas-2004 e Pequim-2008, a seleção feminina tentava voltar ao pódio após ficar de fora das semifinais há quatro anos, quando perdeu nas quartas para o Japão. Mesmo sem o bronze, em uma demonstração de apoio, a seleção feminina deixou o gramado aplaudida pela torcida.

Na disputa pelo 3º lugar, o Canadá foi superior nos 90 minutos. Já no primeiro tempo, as rivais do Brasil foram mais organizadas como equipe, sobretudo no setor defensivo. A proposta de jogo estava bem clara: atacar o Brasil no contra-ataque, explorando as laterais do campo. O gol marcado por Rose, aos 24 minutos do primeiro tempo, foi exemplo dessa estratégia.

Ao desperdiçar uma bola no ataque, a seleção brasileira se viu desprotegida na defesa. Lawrence ultrapassou Fabiana e teve calma e o tempo necessário para cruzar a bola na área. Rose só tocou para as redes e abriu o placar. Antes do gol, o Canadá havia acertado a trave em uma falta cobrada por Sinclair e também já havia criado chances de perigo, rondando a trave de Bárbara.

Já o Brasil tinha problemas de criação. Marta estava muito bem marcada e a seleção, salvo em bolas aéreas, não chegava nem perto do gol canadense. O resultado é que a seleção brasileira sempre teve mais a posse de bola, mas não o domínio do jogo. Logo após a volta do intervalo, o gol de Sinclair aos 7 minutos do segundo tempo, também fruto de uma jogada pelas laterais, tornou a partida mais complicada para o Brasil.  

A equipe brasileira buscou o gol, foi obrigada a se expor na defesa, mas conseguiu diminuir. Aos 33 minutos, Beatriz aproveitou uma bola na área e fez o primeiro da seleção, encerrando um jejum de 412 minutos sem gols nesta Olimpíada. A partir daí, o Brasil buscou o empate até o fim, mas não conseguiu levar a partida para a prorrogação.

FICHA TÉCNICA

BRASIL 1 X 2 CANADÁ

BRASIL - Bárbara; Fabiana, Rafaelle, Mônica e Tamires (Érika); Thaisa, Formiga e Marta; Andressa Alves (Poliana), Bia e Cristiane (Debinha). Técnico: Vadão.

CANADÁ - Labbé; Bélanger, Buchanan, Zadorsky e Lawrence; Matheson (Schmidt), Scott e Fleming; Rose (Chapman), Sinclair e Tancredi (Beckie). Técnico: John Herdman.

GOLS - Rose, aos 24 minutos do primeiro tempo; Sinclair, aos 7 minutos, e Beatriz, aos 33 do segundo tempo.

ÁRBITRA - Teodora Albon (Romênia).

CARTÕES AMARELOS - Andressa Alves, Marta e Rafaelle. 

PÚBLICO - 39.718 pagantes.

LOCAL - Arena Corinthians.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.