Seleção olímpica brasileira realiza o primeiro treino com bola

Seleção olímpica brasileira realiza o primeiro treino com bola

Rogério Micale coloca em prática seus conceitos que ainda são desconhecidos da maioria do público

Almir Leite, enviado especial a Teresópolis, O Estado de S.Paulo

19 de julho de 2016 | 16h13

A seleção olímpica brasileira faz na tarde desta terça-feira o primeiro treino com bola, em sua preparação para os Jogos do Rio, e o técnico Rogério Micale colocará em prática seus conceitos, desconhecidos da maioria do público, mas que ele já adota há algum tempo na equipe. A começar pela marcação do campo, que ele divide por setores, marcados por cones pequenos, de tamanho menor do que os normalmente utilizados, e também por bolas.

Micale explicou por que adota esse tipo de referência. “É para nos auxiliar nos treinamentos, trabalhar para a assimilação mais rápida do atleta. Faço treinos com predominancia do setor, para que ele (o atleta) possa entender rapidamente que caminhos trilhar. Esse tipo de marcação é para dar uma didática melhor.''

O treinador, ao contrário do que acontecia nos tempos de Dunga, falou de maneira descontraída e, depois da entrevista, conversou tranquilamente com os jornalista, com bastante naturalidade.

Ele disse que todos os seus treinos são caracterizados por esse tipo de atividade, que visam à assimilação rápida. “Também podemos marcar os quadrantes que vamos preencher em determinados momentos do jogo.'' Micale treina também alternativas constantes. Nesta tarde, por exemplo, vai dar ênfase às viradas de jogo. “O objetivo é aproveitar o (duelo) um contra um pelos lados do campo.''

Sobre seu esquema tático, disse não ter uma preferência e sim uma referência. “Tenho uma ideia inicial, venho atuando no 4-2-3-1, mas a plataforma inicial possibilita várias movimentações se você tem bem firmado o sistema de jogo. Num momento ofensivo, trabalho no 4-2-4, 4-3-3, depende da leitura do trabalho com os jogadores'', afirmou. “Partimos do princípio que são acima da média em leitura de jogo, assimilam bem rapidamente.''

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.