Seletiva olímpica reforça paixão da Jamaica pelo atletismo

Fãs não querem perder qualquer detalhe das provas

 
 
Nathalia Garcia, enviada especial a Kingston, O Estado de S.Paulo

01 de julho de 2016 | 05h01

O primeiro dia da seletiva jamaicana de atletismo no Estádio Nacional, em Kingston, foi um aquecimento para a maioria dos atletas e para a torcida também. As arquibancadas quase vazias ganharam volume à medida que se aproximava a entrada de Usain Bolt na pista, deixando a promessa de melhor público nos próximos dias.

Terceira maior ilha do Caribe, a Jamaica possui 2,7 milhões habitantes. A capital Kingston concentra cerca de 850 mil, e são esperados mais de 30 mil torcedores nas sessões de sexta até domingo. Os ingressos para os assentos na linha de chegada já estão esgotados. Entre os fãs que não querem perder a chance de ver os astros, está Georgene Gibson, de 27 anos.

“A Jamaica é a capital dos velocistas, queremos saber quem vai nos representar na Rio-2016. Eu amo atletismo, é meu esporte número 1. Estive aqui no Racers Grand Prix e foi muito profissional, tudo ocorria no horário, havia música. Foi muito bom”, conta. Enquanto boa parte do público comprou bilhete para ver Usain Bolt, a jamaicana Ann Marie Gayle, que trabalha em uma escola ao lado do Estádio Nacional, queria ver o ex-recordista mundial Asafa Powell na pista.

Antes mesmo de passar os portões de entrada é possível identificar que o atletismo é um orgulho nacional. Próximo à bilheteria há o “muro da honra”. O principal homenageado é Arthur Wint, primeiro campeão olímpico do país, vencedor nos 400 metros rasos em Londres-1948. Merlene Ottey, Donald Quarrie, Deon Hemmings e Herb McKenley também estão estampados na parede.

Mas a paixão pelo atletismo é evidenciada não apenas nos arredores do estádio. No Aeroporto Internacional Norman Manley, o visitante já tem o seu primeiro contato com os ídolos locais. Um grande quadro com a figura de Bolt e Cia. é exibido ao lado da porta de entrada ao país. Além disso, é recorrente ver a imagem dos velocistas nas propagandas locais.

E o esporte também faz parte da vida cotidiana. O Emancipation Park, aberto em 2002, convida os cidadãos comuns a colocar o tênis para dar uma caminhada em sua pista, que contorna toda a margem do parque. E atenção: quem planeja correr deve evitar a hora do rush, devido ao grande fluxo de praticantes.

PARTICIPE

Quer saber tudo dos Jogos Olímpicos do Rio? Adicione o número (11) 99371-2832 aos seus contatos, mande um WhatsApp para nós e passe a receber as principais notícias e informações sobre o maior evento esportivo do mundo através do aplicativo. Faça parte do time "Estadão Rio-2016" e convide seus amigos para participar também!

*A repórter viaja a convite do Escritório de Turismo da Jamaica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.