Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Sem viajar ao exterior, Del Nero acompanhará seleção em Goiânia e na Olimpíada

Presidente da CBF deixou de acompanhar o time fora do Brasil desde que estourou o escândalo de corrupção na Fifa

Almir Leite, enviado especial a Goiânia, O Estado de S.Paulo

29 de julho de 2016 | 09h00

O presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, é esperado em Goiânia para assistir ao amistoso da seleção olímpica, neste sábado, contra o Japão, no estádio Serra Dourada. A chegada do dirigente está prevista para o período da manhã, algumas horas antes da partida, que tem início previsto para as 16h20. Além de acompanhar a equipe, deve aproveitar para se reunir com alguns dirigentes de federações convidados a vir à capital goiana.

Marco Polo Del Nero deverá acompanhar todos os jogos da seleção no torneio de futebol masculino da Olimpíada do Rio. Pela programação, chegará ao local das partidas no próprio dia dos jogos, ou na véspera, e voltará ao Rio no dia seguinte.

Ele deixou de acompanhar a seleção principal em compromissos fora do Brasil desde que estourou o escândalo de corrupção na Fifa envolvendo compra de direitos de transmissão e marketing de várias competições que levou vários dirigentes - entre eles o ex-presidente da CBF José Maria Marin - à prisão, no caso de Marin domiciliar, em Nova York, nos Estados Unidos. Del Nero teme ser preso se deixar o País.

No encontro com jogadores e comissão técnica da seleção olímpica, o presidente da CBF deverá anunciar a premiação referente à Olimpíada. A tendência é que o critério seja o mesmo utilizado em 2012: apenas a medalha de ouro será premiada. Em Londres, cada atleta teria recebido US$ 100 mil se tivesse ganho o torneio.

Segundo o atacante Gabriel Barbosa, do Santos, até a tarde da quinta-feira os jogadores não haviam conversado sobre o prêmio. Já Gabriel Jesus, do Palmeiras, disse o dinheiro é bem menos importante do que a medalha. "Por mim, eu abriria mão da premiação por essa medalha".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.