Sheilla chora e elogia força do grupo após conquista do ouro

Oposto dá show na partida final contra os Estados Unidos e diz que vive melhor momento de sua carreira

EFE

23 de agosto de 2008 | 13h25

A oposto Sheilla, da seleção brasileira de vôlei, não conseguiu esconder sua alegria pela conquista da medalha de ouro neste sábado nos Jogos Olímpicos de Pequim, depois da vitória sobre os EUA por 3 sets a 1 no Ginásio da Capital.Veja também:A campanha brasileira na Olimpíada de Pequim Vôlei feminino do Brasil é medalha de ouro em Pequim Este time amarela sim, mas é 'amarelo-ouro', diz Zé Roberto Mari diz que ouro é resposta para os críticosA jogadora chegou à zona mista com os olhos avermelhados de tanto chorar e com a voz completamente embargada, depois da cerimônia de entrega de medalhas no próprio ginásio. "A força desse grupo é o que nos fez chegar até aqui, para hoje podermos comemorar que somos campeãs olímpicas", afirmou Sheilla, com palavras entrecortadas, enquanto tentava não voltar a chorar da emoção. "É o melhor momento da minha vida esportiva", completou.As jogadoras brasileiras ficaram por mais de uma hora no alto do pódio dançando, chorando e tirando fotos, como se não quisessem descer nunca. "A verdade é que não queríamos descer do pódio. Por mim seguiríamos ali toda a noite, e amanhã também. É fantástico", concluiu, chorando.

Tudo o que sabemos sobre:
Sheillavôlei femininoEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.