Sob protestos, organização dos Jogos de Pequim recebe tocha

Ativistas que defendem a independência do Tibete tentam impedir que a chama chegue nas mãos dos chineses

Efe,

30 de março de 2008 | 10h38

A tocha dos Jogos Olímpicos de Pequim foi entregue neste domingo a uma delegação chinesa em cerimônia no Estádio Panathinaiko, em Atenas, sob protestos de ativistas que defendem os direitos humanos na China e a independência do Tibete. Veja também:  Conheça os locais das provas da Olimpíada de Pequim Teste seus conhecimentos sobre a história da Olimpíada A delegação chinesa, liderada pelo presidente do Comitê Organizador para os Jogos Olímpicos de Pequim (Bocog, em inglês), Liu Qi, recebeu a chama olímpica das mãos do presidente do Comitê Olímpico Grego, Minos Kyriakou. A tocha seguirá agora rumo a Pequim, onde será recebida na segunda-feira com uma grande cerimônia. As fortes medidas de segurança adotadas pela Polícia de Atenas evitaram que cerca de dez ativistas impedissem a entrada do último participante do revezamento da tocha no estádio, onde foram realizados os primeiros Jogos da Era Moderna, em 1986. Os ativistas, com frases como "Liberdade para o Tibete" escritas no corpo e em cartazes, foram arrastados pelos policiais até um ônibus do Batalhão de Choque nos arredores do estádio, no qual permaneceram até o final da cerimônia. Vestida com uma túnica e levando um ramo de oliveira, a atriz grega Maria Nafpliotu, acompanhada de 20 mulheres, encarnou o papel de sacerdotisa durante o ato. O grupo ficou em volta do pedestal sagrado à espera da tocha, que chegou ao estádio nas mãos da última participante do revezamento, a grega Hrysopiyi Devetzi, medalha de prata no salto triplo nos Jogos de 2004, em Atenas. "A Grécia entrega a chama à China com sentimentos de verdadeira amizade", disse Kyriakou ao entregar a chama a Liu, a quem expressou seu desejo de que "o revezamento leve a todo o planeta a mensagem de paz, do respeito às pessoas e do espírito olímpico". "Espero que a comunidade mundial dê as boas-vindas à tocha e a honre com respeito", concluiu o prefeito de Atenas. "Estamos dispostos a divulgar o ideal olímpico. Para que a tocha olímpica seja um símbolo de amizade do povo chinês, a chama será conduzida por continentes e mares", declarou Liu. Segundo o presidente do Bocog, a tocha "viajará por toda a China divulgando o espírito olímpico e subirá pela primeira vez ao topo do Monte Everest". Antes da cerimônia, a tocha percorreu neste domingo um pequeno percurso pelo centro histórico de Atenas, da Acrópole até o Estádio Panathinaiko. Durante os últimos sete dias, a tocha acesa no último dia 24 percorreu mais de 1.500 quilômetros em solo grego. A chama olímpica chega nesta segunda-feira a Pequim, onde terá início um revezamento internacional, seguido de ouro dentro da própria China, até que, finalmente, chegará ao Estádio Nacional da capital chinesa em 8 de agosto, dia da abertura dos Jogos.

Tudo o que sabemos sobre:
Pequim 2008Tibetetocha olímpica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.