Sob segurança, começa passagem da tocha olímpica em Buenos Aires

Começou o revezamento da tochaolímpica em Buenos Aires nesta sexta-feira, com a polícia tendoque conter pequenas manifestações pró e anti-China em algunstrechos do percurso de 13 quilômetros. O revezamento começou às 14h36 e o medalhista olímpicoCarlos Espínola, iatista e atleta de windsurf, foi a primeiradas 80 pessoas a carregar a tocha na Argentina, quebrando aexpectativa de que Diego Maradona começasse o revezamento. Apesar dos gritos dos manifestantes, não houve confronto ea polícia os conteve rapidamente. Ativistas argentinos contrários à dominação da China sobreo Tibet prometiam realizar "ações surpresa" pacíficas durante odia, mas disseram que não tentariam apagar a chama como fizerammanifestantes em Londres e em Paris. "Estamos conclamando as pessoas a adotarem uma postura aesse respeito", disse Jorge Carcavallo, do grupo Tibet Livre,enquanto carregava faixas nas quais se lia a mensagem:"Liberdade de Imprensa". O jogador de vôlei de praia Emanuel, campeão olímpico emAtenas ao lado de Ricardo, em 2004, seria o representante doBrasil no revezamento da tocha na capital argentina. A tenista Gabriela Sabatini também deve participar. A tocha chegou à Argentina na quinta-feira, com poucoalarde. Ela deve passar diante da Casa Rosada (paláciopresidencial) e por algumas avenidas da capital argentina.Depois, segue para a Tanzânia, onde a vencedora do prêmio NobelWangari Maathai anunciou que abandonaria o revezamento. (Reportagem adicional de Cesar Illiano)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.