Spielberg abandona cerimônia por apoio da China ao Sudão

Cineasta decidiu sair do comitê porque 'se deu conta de que sua consciência não lhe permitia continuar'

EFE

13 de fevereiro de 2008 | 09h35

O diretor americano Steven Spielberg abandonou a criação da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim pelo apoio da China às violações dos direitos humanos da região sudanesa de Darfur.Segundo se informou, Spielberg explica que sua decisão de romper o acordo com o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos (BOCOG) aconteceu porque ele se deu conta de que sua consciência não lhe permitia continuar com seu trabalho como sempre. "Neste ponto, meu tempo e energia não devem de ser destinados à cerimônia dos Jogos, mas em tentar pôr fim aos atrozes crimes contra a humanidade que continuam sendo cometidos em Darfur", disse o cineasta.O diretor já havia ameaçado renunciar a seu trabalho como assessor artístico dos Jogos de Pequim caso a China não detivesse seu apoio ao Governo do Sudão, acusado de graves violações dos direitos humanos na região de Darfur.Spielberg se uniu a outras estrelas de Hollywood, como Mia Farrow e George Clooney, na denúncia dos problemas de Darfur e à crítica ao apoio que a China - país que compra petróleo e vende armas a Cartum - fornece ao país norte-africano.O BOCOG anunciou em abril de 2006 que Spielberg e Zhang Yimou, o diretor mais famoso do cinema chinês, trabalhariam juntos na criação da cerimônia inaugural, que será realizada no dia 8 de agosto de 2008.

Tudo o que sabemos sobre:
Pequim 2008Steven Spielbergcerimônia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.