Sucessor de presidente chinês visita instalações olímpicas

Xi Jinping se diz impressionado com instalações olímpicas, que mostram a 'capacidade' da China

Efe

16 de fevereiro de 2008 | 11h23

Xi Jinping, considerado por analistas como firme candidato à sucessão do presidente chinês, Hu Jintao, e supervisor de segurança dos Jogos Olímpicos de Pequim, segundo a imprensa de Hong Kong, percorreu neste sábado diversas instalações olímpicas e pediu a realização de "jogos verdes". Xi, membro do Comitê Permanente do birô político do Partido Comunista da China (PCCh), mostrou satisfação pelo avanço dos trabalhos de construção e de infra-estrutura.Segundo a rede de televisão chinesa "CCTV", Xi descreveu o estádio e o parque aquático olímpicos - apelidados de Ninho de Pássaro e Cubo Aquático, respectivamente - como símbolos da inovação e da capacidade da China.O provável sucessor de Hu confessou estar impressionado com o design das duas instalações, além de ter destacado que o estádio utiliza energia solar.Segundo Xi, a torre de comunicações chamada Torre Digital de Pequim combina a modernidade dos Jogos com a infra-estrutura da capital chinesa, e se transformará no principal centro de informação da cidade após o fim das competições.O membro do alto escalão do PCCh apertou as mãos de alguns trabalhadores das instalações olímpicas e destacou que foram praticados os conceitos de jogos verdes, de amizade e de alta tecnologia para os eventos olímpicos e paraolímpicos que acontecerão no mês de agosto em Pequim.Segundo o jornal South China Morning Post, de Hong Kong, revelou esta semana, as novas responsabilidades de Xi quanto à segurança dos Jogos Olímpicos colocarão à prova sua capacidade de liderança na coordenação de vários departamentos governamentais, ministérios e províncias.A nomeação de Xi, de 54 anos e membro do birô político do PCCh desde outubro, coincide com informações sobre sua escolha como responsável pelos preparativos do 30.º aniversário da reforma econômica da China.

Tudo o que sabemos sobre:
Pequim 2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.