Sul-africano com prótese é proibido de competir em Pequim

Estudo diz que próteses das pernas de Oscar Pistorius lhe dão vantagem sobre outros competidores

Efe

14 de janeiro de 2008 | 14h20

A Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF, em inglês) anunciou que o sul-africano Oscar Pistorius, que corre com próteses nas duas pernas, foi proibido de competir entre atletas sem deficiência pela comprovação de que os substitutos lhe dão vantagem. A conclusão veio de um estudo científico independente feito pelo professor Peter Brueggemann, da Universidade de Colônia, na Alemanha. Os testes foram realizados nos dias 12 e 13 de novembro com o próprio atleta. O procedimento foi considerado necessário porque as próteses eram consideradas uma vantagem em relação aos demais - o que viola o artigo 144.2 do regulamento da IAAF.Segundo o estudo, Pistorius gasta 25% a menos de energia com as lâminas curvadas de suas próteses. Além disso, a energia enviada pelo substituto, de fibra de carbono, é quase três vezes superior à da articulação de um joelho normal ao máximo de esforço durante uma corrida.O exame demonstra que a vantagem mecânica da lamina de fibra de carbono é mais de 30% superior à da articulação de um joelho em condições normais.

Tudo o que sabemos sobre:
Pequim 2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.