Tae kwon do convoca para seletiva olímpica e cobra R$ 250 de cada escolhido

A Confederação Brasileira de Tae Kwon Do (CBKTD) estabeleceu critérios bastante complicados para definir três dos quatro representantes do País nos Jogos Olímpicos do Rio, em agosto. A entidade primeiro escolheu as categorias de peso nas quais usufruirá dos convites dados ao país-sede e, depois, estipulou três seletivas que não necessariamente eliminam os derrotados.

DEMÉTRIO VECCHIOLI, Estadão Conteúdo

02 de janeiro de 2016 | 16h33

A primeira seletiva, aberta, envolveu atletas que não fazem parte da seleção brasileira, nem são os melhores do país no ranking olímpico. Agora, no próximo dia 17 de janeiro, em Santos (SP), a segunda seletiva, restrita a atletas convocados - sendo dois por convite -, vai definir três atletas por categoria para a última e decisiva seletiva.

O curioso é que a CBTKD está cobrando R$ 250 de inscrição de cada um dos 21 atletas que ela mesma convocou para esta seletiva. São duas competidoras na categoria até 49kg (para definir a reserva de Iris Sing, classificada pelo ranking olímpico), sete na até 57kg feminina, seis na até 58kg e outros seis na +80kg masculina.

Esta etapa da seletiva será no modelo ''robin round'', com todos lutando contra todos. Os três primeiros de cada categoria ganham o direito de participar da seletiva final, para a qual a comissão técnica terá o direito de convocar mais um atleta por critérios técnicos.

Entre as mulheres, as favoritas são Josiane Lima, Rafaela Araújo e Julia Vasconcelos. Na categoria mais leve masculina deve ter briga entre Venilton Teixeira e Guilherme Dias, ambos medalhistas de bronze nos últimos Mundiais. Já entre os pesos pesados a briga é franca, com Guilherme Felix aparecendo como favorito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.