Taiwan respeita aliados por não enviarem líderes a Pequim

A ilha não apresentou aos seus aliados a exigência de não enviar presidentes à cerimônia de abertura

EFE,

29 de julho de 2008 | 14h16

O governo tailandês informou nesta terça-feira que a decisão dos 23 aliados de Taiwan de não enviar seus chefes de Estado à cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim, no dia 8 de agosto, condiz com as expectativas da ilha."Respeitamos a decisão de nossos aliados de enviar ou não altos funcionários à cerimônia de abertura, já que as relações entre as duas partes do Estreito de Formosa estão melhorando", disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Henry Chen, em coletiva de imprensa.A ilha não apresentou aos seus aliados a exigência de não enviar presidentes ou primeiros-ministros à cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, mas considera a decisão coerente, já que não mantêm laços oficiais com a China."É um bom sinal. As relações com nossos aliados diplomáticos são sólidas", acrescentou Chen.Os aliados taiwaneses El Salvador e São Vicente e Granadinas enviarão ministros de Esporte a Pequim, enquanto o Vaticano, único aliado de Taiwan na Europa, enviará o bispo de Hong Kong à cerimônia inaugural, acrescentou a diplomacia da ilha.Taiwan enviará altos funcionários de Educação e Esporte à cerimônia inaugural dos Jogos Olímpicos e espera que a China não faça uso político da ocasião.

Tudo o que sabemos sobre:
Pequim 2008Taiwan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.