Charly Triballeau / AFP
Charly Triballeau / AFP

Talisson Glock supera italiano campeão mundial e fatura ouro na Paralimpíada

Antonio Fantin era considerado favorito na prova, mas brasileiro dominou a disputa quase que inteiramente

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de setembro de 2021 | 05h52

Talisson Glock era cotado como medalhista, mas o favoritismo para o ouro na prova dos 400m livre da classe S6 (atletas com amputação ou problemas motores de um lado do corpo) da natação na Paralimpíada de Tóquio era todo do italiano Antonio Fantin, atual campeão mundial. No entanto, Talisson conseguiu superar Fantin na final e ficar com o primeiro lugar.

Talisson dominou a prova quase inteiramente. Uma das provas mais longas da natação paralímpica, o nadador precisa dosar os esforços, e, mesmo assim, Talisson virou a primeira piscina em primeiro. Na metade da prova, Fantin conseguiu ultrapassá-lo, mas Talisson recuperou a liderança nos 300m - os dois estavam bem à frente dos demais.

No quarto final, Talisson não só manteve como aumentou a vantagem para o italiano, colocando quase meio corpo de vantagem. O brasileiro levou o ouro com o tempo de 4min54s42, enquanto Fantin ficou com a prata com o tempo de 4min55s70. O bronze foi para o russo Viacheslav Lenskii.

Natural de Joinville-SC, Talisson tem 26 anos e perdeu a perna e o braço esquerdos ao ser atropelado por um trem. Ele começou no esporte paralímpico em 2010, com 15 anos e já conquistou medalha de ouro em Mundiais e Parapan-americanos. Na Rio-2016, conseguiu medalha de bronze nos 200m medley S6.

Foi a terceira medalha de bronze de Talisson em Tóquio - as anteriores foram de bronze, no revezamento 4x50m livre misto 14 pontos (ou seja, a soma das classes dos atletas tem que dar 14), ao lado de Daniel Dias, Joana Neves e Patrícia Pereira e nos 100m livre da classe S6.

Na mesma prova versão feminina, chamou a atenção a quebra do recorde mundial: a chinesa Yuyan Jian baixou a marca anterior em oito segundos. A ucraniana Yelyzaveta Mereshko, medalha de prata, também nadou abaixo da marca anterior, embora tenha chegado bem depois de Jian. O bronze ficou com Nora Meister, da Suíça, e Laila Abate, do Brasil, foi a 7ª colocada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.