Satiro Sodré/SSPress
Satiro Sodré/SSPress

Técnico diz que polo do Brasil tem 'grandes chances' no Rio-2016

Em uma chave 'fraca', o polo brasileiro vê grande chance de garantir uma vaga nas quartas de final

Estadão Conteúdo

11 de abril de 2016 | 14h48

O Brasil comemorou o resultado do sorteio das chaves olímpicas do polo aquático, principalmente pelo masculino. A seleção não só caiu na mesma chave que Austrália e Japão, em teoria as equipes mais fracas da competição, com vai pegar esses dois times nas duas primeiras rodadas. Se confirmar o favoritismo e vencer, garante vaga nas quartas de final antes de enfrentar a Grécia e as potências Sérvia e Hungria.

"A chave do Brasil é muito equilibrada. Nosso calendário de jogos pode nos dar a possibilidade de um bom início, obtendo bons resultados contra Austrália e Japão. Temos grandes chances de chegar às quartas-de-final. Agora teremos um período para nos preparar e analisar os adversários", comentou o técnico Ratko Rudic.

A seleção vai estrear em 6 de agosto (sábado), contra a Austrália. Depois, em dias intercalados, joga na ordem contra Japão, Sérvia, Grécia e Hungria. Os sérvios são os atuais campeões mundiais, os húngaros venceram o Pré-Olímpico Mundial e os gregos demonstraram força superando a própria Hungria na seletiva europeia da Liga Mundial.

Avançam os quatro primeiros, com os confrontos das quartas de final reunindo o primeiro de um grupo contra o quarto colocado do outro e segundo contra terceiro. Na outra chave estão EUA, Espanha, França, Montenegro, Itália e Croácia.

Em maio, o Brasil vai ter uma palhinha do que encontrará na Olimpíada, uma vez que enfrenta Japão e Austrália na fase intercontinental da Liga Mundial - também jogará contra Casaquistão, China e EUA. Se ficar entre os quatro primeiros do hexagonal em Yokohama, no Japão, avança à fase final, para a qual Sérvia e Grécia estão classificadas.

MULHERES

No feminino, a competição tem só oito times e o Brasil só se estará presente, fazendo sua estreia olímpica, por ser dono da casa. Pior avaliado entre os oito participantes, vai brigar para se despedir com uma campanha honrosa. Estreia dia 9 diante da Itália e depois joga contra Rússia (11) e Austrália (13). No ano passado, na Liga Mundial, levou 17 a 4 e 17 a 8 da Austrália e 11 a 2 da Itália. Neste ano, perdeu da Austrália por 15 a 3.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.