Patrick B. Kraemer/EFE
Patrick B. Kraemer/EFE

Thiago Pereira e mais nove farão treinamento na altitude

Atletas passarão 20 dias em Flagstaff, no Arizona, EUA

Nathalia Garcia, O Estado de S. Paulo com Estadão Conteúdo

05 de maio de 2016 | 14h56

Dos 30 nadadores convocados oficialmente para defender o Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio, dez aceitaram o programa de treinos proposto pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) e ficarão 20 dias treinando em altitude, em Flagstaff, no Arizona (EUA).

Localizada a mais de 2 mil metros de altitude, a Flagstaff tem um centro de treinamento para receber atletas em busca dessa preparação específica. Em fevereiro, parte da equipe do Sesi-SP foi para lá. A seleção também já passou por lá em outras oportunidades, como em 2014.

Entre os atletas que irão para Flagstaff na próxima segunda-feira estão Thiago Pereira, Guilherme Guido, Joanna Maranhão e João Gomes Júnior. O time terá ainda Tales Cerdeira, Henrique Rodrigues, Larissa Oliveira, Kaio Márcio Almeida, Marcos Macedo e Manuella Lyrio. Eles só retornam ao Brasil em 29 de maio.

"Eu honestamente estou indo pelo esquema, não seria nem tanto pela altitude. Se a gente pensar na altitude agora para os Jogos, que vão ser em agosto, você já vai ter perdido (o benefício). Perde esse pequeno ganho da altitude em uma semana, dez dias. Só que você tem outros tipos de ganho: treino, físico, resistência. A minha ideia é mais o processo", afirma Thiago Pereira.

O nadador, prata nos 400 metros medley nos Jogos de Londres, até cogitou um segundo período de treinamento em altitude, mas a comissão técnica da CBDA descartou a proposta. "Por recomendação do médico, a gente achou melhor não (ir para altitude). Dei ideia para um traning camping, ficar mesmo na rotina treino, hotel, piscina, piscina, hotel, musculação, descanso."

O grupo será treinado por Mirco Cevales, que deverá ser um dos técnicos da seleção na Olimpíada. Atualmente no Pinheiros, ele vem trabalhando com João Gomes Junior (segundo do ranking mundial dos 100m peito) e Larissa Oliveira (recordista sul-americana dos 100m livre e dos 200m livre).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.