Thiago Pereira fica acima do índice nos 200m peito

Tales Cerdeira foi único brasileiro a conseguir índice

Demétrio Vecchioli, Estadão Conteúdo

18 de abril de 2016 | 10h37

Thiago Pereira foi o segundo mais rápido das eliminatórias dos 200 metros peito no Troféu Maria Lenk, na manhã desta segunda-feira, no Estádio Aquático Olímpico, mas não alcançou o índice olímpico para a prova. Com 2min12s13, ficou a menos de meio segundo da marca mínima exigida: 2min11s66.

O único a bater o índice olímpico pela manhã na prova foi Tales Cerdeira, de 29 anos, que completou a distância em 2min10s99. Ele não estava entre os favoritos para ir ao Rio-2016, uma vez que fez apenas 2min14s13 na primeira seletiva, o Torneio Open.

Em Palhoça (SC), em dezembro, Thiago Simon completou a prova em 2min11s29 e se tornou o primeiro brasileiro a alcançar o índice. O corintiano, que fez 2min09s82 nos Jogos Pan-Americanos, se poupou demais nas eliminatórias do Maria Lenk. Com 2min15s19, ainda conseguiu a última vaga na final A.

Fora da Olimpíada nos 100m peito, sua especialidade, Felipe Lima parece disposto a ir aos Jogos nos 200m peito. Fez 2min12s78 nas eliminatórias e baixou em quatro segundos seu melhor tempo do ano passado. Felipe França também estará na final.

Já nos 200m borboleta, conforme esperado, não saiu índice. Joanna Maranhão foi a mais rápida, com 2min11s76, colocando incríveis nove segundos de vantagem sobre a segunda melhor brasileira, Maria Pessanha. O índice é 2min09s33 e Joanna não precisa alcançá-lo para nadar a prova no Rio-2016.

Como tem o chamado "índice B", será convocada para a Olimpíada por outras provas, e não há brasileira com "índice A" nos 200m borboleta, pode ser inscrita caso tenha interesse em participar da prova.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.