Tibetanos prometem mais protestos em revezamento da tocha

Tibetanos exilados prometeramnesta sexta-feira realizar novos protestos contra a ocupaçãochinesa quando a tocha dos Jogos Olímpicos de Pequim forentregue aos organizadores do evento, em Atenas, no domingo. Ativistas e manifestantes tibetanos atrapalharam acerimônia na qual foi acesa a tocha, evento realizado na antigaOlímpia, na segunda-feira, e transmitido por TVs do mundo todo.Rompendo um cordão de segurança, os manifestantes exibiramfaixas durante um discurso do chinês responsável por organizaros Jogos. Novos protestos marcaram o início do revezamento da tocha,quando ativistas deitaram-se na frente do comboio queacompanhava os responsáveis por carregar a chama, em Olímpia,impedindo por diversas vezes o prosseguimento do evento. "Estamos planejando realizar várias ações no domingo e nasegunda-feira, em Atenas, a fim de protestar contra a China,certamente", disse à Reuters Tashi Sering, representante dogrupo Estudantes por um Tibet Livre. "Na segunda-feira, tambémrealizaremos uma passeata pacífica na região central deAtenas." A tocha olímpica deve partir rumo à China na segunda-feira. O ativista não quis fornecer maiores detalhes sobre asações planejadas para o domingo, durante a cerimônia depassagem da tocha, que marcará o início da fase internacionaldo revezamento. Depois, ocorrerá a fase chinesa, que termina nodia 8 de agosto, com a cerimônia de abertura dos Jogos emPequim. Outros manifestantes planejam mais protestos no sábado,enquanto a polícia grega, desconcertada com a falha em Olímpia,intensificava suas medidas de segurança para a cerimônia noestádio Panathinaiko, em Atenas, local onde ocorreu a primeiraOlimpíada dos tempos modernos, em 1896. "Cerca de 500 policiais ficarão dentro e nas cercanias doestádio e outros 500 serão estacionados próximos dali, prontospara intervir caso haja problemas na cerimônia", afirmou umaautoridade da polícia à Reuters. Os policiais devem também isolar a área ao redor do estádiode mármore e submeter todos os visitantes a revistas antes depermitir que entrem no local. O governo disse que tomaria "todas as medidas necessárias"para salvaguardar o revezamento com a tocha e a entrega delaaos chineses. Forças de segurança da China reprimiram manifestantes noTibet e em outras áreas tibetanas do oeste do país, neste mês,em meio a uma onda de protestos que chama atenção para ainsatisfação com o governo comunista nessas áreas. A Chinacontrola o Tibet desde que invadiu a região, em 1950. Grupos de defesa dos direitos humanos acusam o governochinês de violar os direitos humanos. O Comitê Olímpico Internacional (COI), que em 2001 escolheuPequim como sede dos Jogos de 2008, também enfrenta críticascada vez mais frequentes por não pressionar a China a respeitoda violação dos direitos humanos. O COI rebateu essas críticas afirmando não ser um órgãopolítico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.