Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Marcos de Paula|Estadão
Marcos de Paula|Estadão

Tiro com arco convoca oito para Olimpíada e deixa indígenas de fora

Marcus Vinícius D`Almeida, Bernardo Oliveira, Daniel Xavier e Marcelo Costa serão os representantes do Brasil

Estadão Conteúdo

05 de maio de 2016 | 15h54

Ainda não será em 2016 que um indígena disputará os Jogos Olímpicos pelo Brasil no tiro com arco. A confederação brasileira de modalidade (CBTArco) anunciou nesta quinta-feira de forma oficial a convocação para o Rio-2016 e, conforme esperado, não incluiu os três indígenas que participaram da parte final das seletivas.

Foram quatro etapas, com cada atleta podendo descartar o pior resultado. Os dois primeiros tanto no masculino quanto no masculino foram convocados diretamente, cabendo à comissão técnica apontar os outros quatro convocados (dois por gênero). Depois, mais perto dos Jogos, em julho, serão definidos os seis arqueiros que participarão do Rio-2016 e quem fica como reserva, fora inclusive da Vila Olímpica.

No masculino não teve novidade. Marcus Vinícius D`Almeida (37 pontos nas seletivas) e Bernardo Oliveira (36) se garantiram diretamente, enquanto Daniel Xavier (33) e Marcelo Costa (31), respectivamente terceiro e quarto colocados nas seletivas, foram os demais convocados. Dentre os indígenas, o melhor foi Nelson Silva, em sexto.

No feminino, Ane Marcelle (39) e Sarah Nikitin (31) sobraram nas seletivas. A terceira colocada, a amazonense Larissa Rodrigues, não foi convocada. Ela somou 28 pontos e foi preterida por Marina Canetta Gobbi (24) e Michelle Acquesta (19). Esta foi só oitava colocada no ranking das seletivas - o resultado seria o mesmo se não houvessem descartes.

Na quarta e última seletiva, no fim de semana passado, em São Paulo, Marcus Vinicius atualizou seu recorde brasileiro, com 671 pontos. O pior resultado dele nas quatro etapas foi 665 pontos, um ponto a menos do que fez o primeiro colocado da fase de classificação do Mundial do ano passado.

Essa será a primeira vez que o Brasil participará dos Jogos por equipes, tendo vaga como país-sede tanto no masculino quanto no feminino. Entre os homens, os resultados somados de Marcus, Bernardo e Marcelo na terceira seletiva deixaria o Brasil em primeiro na fase de classificação do último Mundial.

A disputa por medalhas, entretanto, acontece nos confrontos eliminatórios, de mata-mata. Os seis arqueiros que participarem da disputa por equipes também estarão na competição individual. Os reservas só serão utilizados em caso de lesão dos titulares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.