Divulgação
Divulgação

Tite observa seleção olímpica pensando nas Eliminatórias

Quem for bem na Olimpíada pode ganhar chance na seleção principal

ALMIR LEITE, ENVIADO ESPECIAL A TERESÓPOLIS, O ESTADO DE S.PAULO

22 de julho de 2016 | 07h00

A proximidade de Tite com a seleção olímpica tem outro objetivo, além do de colaborar com o o técnico Rogério Micale. O treinador visa o próprio trabalho. Se a equipe que disputará os Jogos do Rio for bem-sucedida, uma boa parte dos 18 jogadores que se prepara atualmente na Granja Comary poderá se tornar presença constante na seleção principal. E já a partir das partidas de setembro pelas Eliminatórias, contra Equador e Colômbia.

Tite acompanhou o treino de quinta-feira da seleção olímpica e pretende se fazer presente outras vezes até o fim da participação da Olimpíada – confirmou que irá assistir à estreia nos Jogos, dia 4 de agosto, contra a África do Sul, em Brasília. E vai manter um integrante da sua comissão técnica sempre perto do time de Micale. O auxiliar Cleber Xavier, por exemplo, estava ontem em Teresópolis.

O treinador admitiu recorrer ao elenco olímpico a partir da primeira convocação, embora não tenha revelado em que escala. “O que posso afirmar é que farei o acompanhamento da performance dos atletas'', disse.

Ser bem-sucedido, esclareceu Tite, não é obrigatoriamente ganhar o ouro. Ele busca jogadores que sobressaiam tecnicamente, mas também demonstrem personalidade. Os “veteranos'' Neymar, Fernando Prass e Renato Augusto de certa forma estão livres dessa prova. Mas jogadores como Gabriel Jesus, Gabriel Barbosa, Rodrigo Caio, Douglas Santos, Walace e Felipe Anderson, e até Marquinhos e Rafinha Alcântara serão obervados bem de perto por Tite.

Outro sinal de que o técnico conta com os olímpicos foi o pedido feito ao presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, que solicite à Fifa permissão para que a adie a convocação que fará para os jogos eliminatórios de 15 para 22 de agosto. Isso porque ele espera que no dia 15 o time de Micale ainda esteja envolvido na disputa pela medalha de ouro – nesse caso jogaria dia 17 de agosto pelas semifinais – e não quer atrapalhar a concentração dos atletas. A Fifa ainda não respondeu.

Um terceiro fator a favor da turma da Olimpíada é o pouco tempo para treinamentos que Tite terá na seleção principal. Antes do jogo de 1º de setembro contra o Equador, em Quito, serão apenas dois dias de preparação. Por isso, contar com uma base já entrosada é alternativa que está sendo estudada.

No entanto, a falta de experiência da garotada em Eliminatórias está sendo considerada. Tite sabe ser necessário ter jogadores “cascudos'' no grupo. Por isso, irá nas próximas semanas à Europa e talvez aos Estados Unidos (onde haverá um torneio de pré-temporada com participação de vários times europeus que têm jogadores brasileiros) para observar potenciais convocados e buscar informações sobre a maneira como atuam em seus clubes. Pretende ver se eles se encaixam na filosofia que vai implantar.

Treino. Rogério Micale testou sua formação ofensiva mais uma vez ontem. O ataque teve na maior parte do tempo Gabriel Jesus, Gabigol e Neymar, sempre pela faixa esquerda do campo, e alguns momentos até Luan, no lugar do meia Felipe Anderson. Mas ele manteve pelo menos um volante (Walace, Thiago Maia e Rodrigo Dourado) sempre entre os titulares.

Na parte final do treino, sob frio e garoa insistente, a CBF permitiu a entrada de cerca de 70 torcedores na Comary. Neymar, claro, foi o mais assediado e respondeu: deu autógrafo, fez selfies e chegou a pegar crianças no colo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.