Tocha chega na Malásia sob forte esquema de segurança

A chama foi levada para um luxuoso hotel em Kuala Lumpur antes do revezamento deste domingo

EFE

20 de abril de 2008 | 02h32

A chama olímpica chegou na Malásia, neste domingo, 20, para o revezamento no qual ela será escoltada por cerca de mil policiais, uma precaução contra possíveis protestos contra a posição chinesa em relação ao Tibete e aos direitos humanos. A chama, armazenada numa caixa especial, chegou de Bangcoc, na Tailândia, às 2 horas (horário local), em um avião dedicado a carregá-la por todas as 19 destinações internacionais do seu revezamento, antes de desembarcar em Pequim para os Jogos Olímpicos, em agosto. Um grupo budista realizou orações especiais em um templo de Kuala Lumpur para pedir que o revezamento da tocha olímpica ocorra sem problemas e paz durante os Jogos. Cerca de 300 estudantes chineses, que estão na Malásia, receberam a chama no aeroporto junto com representantes do Conselho Nacional de Esportes e a polícia. A chama foi levada para um luxuoso hotel em Kuala Lumpur antes do revezamento deste domingo, que será iniciado próximo da Praça da Independência. Sua rota de 16 quilômetros destacará vários marcos, incluindo o topo da Torre Kuala Lumpur, uma instalação de telecomunicações que possui uma vista aérea da cidade. O revezamento da tocha terminará nas Torres Petronas Twin no centro de Kuala Lumpur.

Tudo o que sabemos sobre:
Tocha OlímpicaPequim 2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.