Alex Ferro|Divulgação
Revezamento da tocha olímpica começa no dia 3 de maio, em Brasília Alex Ferro|Divulgação

Tocha é arma para estimular venda de ingresso dos Jogos

Organizadores apostam que revezamento por 329 cidades vai motivar o País

Nathalia Garcia e Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

26 de março de 2016 | 17h00

O revezamento da tocha olímpica começa no dia 3 de maio, em Brasília, e percorrerá 329 cidades em 95 dias. Para o Comitê Rio-2016, será o momento perfeito para alavancar a comercialização de ingressos para os Jogos Olímpicos (foram vendidos até o momento aproximadamente 50% dos bilhetes olímpicos e 30% dos paralímpicos). "Ajuda muito na venda. Olhando para o histórico, temos um pico porque as pessoas começam a entrar no clima dos Jogos", explica Donovan Ferreti, diretor de ingressos do Comitê.

A aposta dos organizadores dos Jogos do Rio é que a presença do famoso símbolo em território nacional vai dar visibilidade à competição e motivar o brasileiro antes da disputa. "É muito positivo, é bem motivador, temos histórico do aumento da venda de ingressos e engajamento", continua Ferreti, lembrando que o impacto internacional também é grande.

No dia 21 de abril a tocha será acesa em Olímpia, na Grécia, nas ruínas do Templo de Hera. Após a cerimônia, começará um revezamento pelo país europeu até a chegada em Atenas, no dia 27, para evento com mais de 3 mil pessoas no estádio do Panathinaikos. No dia seguinte, as lâmpadas de segurança vão voar para Genebra, e a tocha vai entrar pela primeira vez no edifício da ONU. No dia 3 de maio, ela chega a Brasília. "O fogo, que é aceso na Grécia e passa de tocha em tocha, é o mesmo que vai acender a pira olímpica no Maracanã", diz Léo Caetano, diretor de cerimônias do Comitê Rio-2016.

Ele lembra que a presença da tocha é como uma contagem regressiva para o início dos Jogos e faz com que o espírito olímpico esteja presente em todos os cantos. "O que vimos em outros Jogos é a capacidade de engajamento com a presença da tocha. Dá um impulso grande porque as pessoas percebem que os Jogos não são de apenas uma cidade. É relevante, é a hora que o brasileiro vai acordar, pois é um momento de celebração do esporte."

O tempo de revezamento da tocha é grande porque o Brasil tem dimensões continentais. Foi assim também na China e na Rússia. Pela ideia inicial, o símbolo teria de passar por todos os Estados e suas capitais. A partir daí, foi pensado um roteiro que levasse em consideração o tamanho da população e a importância histórica e turística de cada local. Tanto que a tocha passará por lugares como Fernando de Noronha, Ilha Grande, Floresta Amazônica e Pantanal.

A rede hoteleira das cidades foi um critério determinante para definir a rota. Os locais onde a tocha pernoitará devem ter hotéis com capacidade para hospedar pelo menos 300 pessoas, que é o tamanho da comitiva que vai percorrer o País. "Estaremos viajando, distribuindo brindes, vai ter música, é como um cirquinho itinerante, como no filme Bye Bye Brasil", avisa Caetano. A maior parte das cidades verá a passagem do comboio, que ficará mais lento quando passar pelos municípios onde não há paradas previstas. Em alguns lugares o deslocamento será feito por avião.

INVESTIMENTO 

O revezamento da tocha é uma grande jogada de marketing antes dos Jogos Olímpicos. Bradesco, Coca-Cola e Nissan são as patrocinadoras e veem o momento como um "aquecimento" para a Olimpíada. Sem revelar detalhes, as marcas direcionam seus esforços para a festa. O calor humano é a aposta das empresas para transformar o evento em uma celebração nacional.

"Teremos uma série de ações ao longo da rota da tocha. Estamos preparando surpresas nas cerimônias de celebração que ocorrerão sempre ao fim do dia do revezamento", comenta Flavio Camelier, vice-presidente da Coca-Cola Brasil para os Jogos Olímpicos Rio-2016.

O diretor de marketing da Nissan do Brasil, Arnaud Charpentier, destaca o desafio de tornar cada dia único na peregrinação. "Vamos celebrar em algumas cidades ou aproveitando a passagem do comboio. Uma equipe de cerca de 70 pessoas vai garantir tecnologia e inovação em shows, exposições e celebrações."

Além da distribuição de brindes, decoração das fachadas das agências e eventos especiais, o Bradesco investe na campanha de condutores da tocha. "Recebemos cerca de 15 mil histórias de brasileiros que foram reconhecidos por fazer diferença onde vivem. Valores olímpicos, como amizade, excelência e respeito devem emocionar quem acompanhar o revezamento", afirma Jorge Nasser, diretor de marketing do Bradesco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.