Tocha olímpica enfrenta protestos na passagem pela Índia

Tibetanos realizam manifestação contra o evento e a China e são presos; trajeto é curto e com segurança

Krittivas Mukherjee, Reuters

17 de abril de 2008 | 08h12

Milhares de membros da maior comunidade de tibetanos exilados na Índia protestaram contra a chegada da tocha olímpica na Índia nesta quinta-feira, reunindo-se e fazendo um revezamento alternativo com lamparinas de oração budistas. Veja também: O dia de protestos no revezamento da tocha na Índia Tibetanos realizam percurso paralelo ao da tocha na Índia Na chegada da tocha, 40 tibetanos são presos em Nova Délhi O trajeto completo do revezamento da tocha pelo mundo  Os protestos e a ligação histórica com os Jogos OlímpicosCerca de 15 mil policiais protegeram a tocha mais tarde, durante o revezamento, que foi encurtado devido ao temor de manifestações. A tocha passou pelas avenidas de antigas áreas coloniais britânicas, cercadas por barreiras e cercas de arame. A tocha, cuja rota aos Jogos Olímpicos de Pequim tem sido marcada por protestos, chegou à Índia de madrugada, em um avião, e depois, cercada por policiais, foi levada a um luxuoso hotel, onde ficou guardada durante o resto da noite. A polícia deteve cerca de vinte manifestantes tibetanos pelo caminho até o hotel. Muitos foram arrastados até as viaturas da polícia enquanto entoavam gritos anti-China. Mais tarde, milhares de tibetanos marcharam pela capital em um revezamento paralelo pela independência do Tibete e contra as políticas chinesas, em particular a repressão das revoltas em sua terra natal no mês passado. Eles levavam lamparinas de oração douradas. "A tocha da china é a chama da vergonha", dizia um dos cartazes. Na principal região budista de Ladakh, na região do Himalaia indiano, milhares de pessoas, incluindo monges que trajavam os tradicionais robes vermelhos, marcharam em solidariedade aos manifestantes tibetanos. Já em Bangalore, cerca de 300 pessoas gritavam "Tibete livre" e "Salvem o Tibete", carregando uma tocha apagada pela cidade. No centro financeiro de Mumbai, tibetanos gritavam e empunhavam bandeiras do Tibete perto dos escritórios do consulado chinês. A polícia deteve pelo menos 12 deles na manhã de quinta-feira.    

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.