Eugene Hoshiko/AP
Eugene Hoshiko/AP

Tóquio-2020 anuncia revezamento da tocha com esquema mais simples e com protocolo de saúde

Fogo olímpico vai percorrer o Japão em trajeto marcado por distanciamento social e transmissão online

Redação, Estadão Conteúdo

15 de dezembro de 2020 | 11h15

O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, adiados em um ano por causa da pandemia do novo coronavírus, aproveitou a marca de 100 dias para o início do revezamento da tocha pelo Japão, nesta terça-feira, para divulgar detalhes de como o fogo olímpico percorrerá o país, passando por várias cidades. A transmissão online e o distanciamento social serão os principais planos para que tudo ocorra sem risco de contaminação.

Vice-diretor geral dos Jogos de Tóquio-2020, Yukihiko Nunomura explicou em entrevista coletiva que tudo será feito de uma forma muito segura, seguindo protocolos de saúde estabelecidos pelas autoridades sanitárias do país.

"Queremos que todos os envolvidos estejam seguros. Os que vão conduzir a tocha, as autoridades que trabalham no evento e os cidadãos nos municípios locais. Queremos simplificar o programa ao máximo e temos tentado minimizar o número de veículos e também de espectadores. Este revezamento da tocha percorrerá todo o Japão e haverá muitos participantes, então queremos maximizar nossos esforços para evitar que a covid-19 se espalhe e tenha controles suficientes", disse.

O revezamento da tocha está programado para começar no dia 25 de março no J-Village em Fukushima, uma área gravemente afetada pelo terremoto e tsunami de 2011. O fogo olímpico está programado para chegar em Tóquio em 9 de julho, onde vai ficar por 15 dias, passando por todos os distritos até entrar no estádio Olímpico para a cerimônia de abertura.

"Queremos que os corredores sorriam e que os espectadores sorriam ao dar as boas-vindas ao revezamento e gerar entusiasmo e ter a sensação de que as Olimpíadas e Paraolímpicas de Tóquio estão chegando", completou Yukihiko Nunomura.

Em março deste ano, antes dos Jogos de Tóquio-2020 serem oficialmente adiados, mas já com a epidemia se espalhando pelo mundo, o Comitê Organizador fez uma cerimônia de acendimento da tocha na Grécia, como costuma-se fazer a cada quatro anos, e o fogo foi ao Japão. Dias depois, o Comitê Olímpico Internacional (COI) e o governo japonês decidiram pelo adiamento da Olimpíada e da Paralimpíada para 2021.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.