Jae C. Hong, File/AP
Jae C. Hong, File/AP

Tóquio-2020 vende 3,22 milhões de ingressos na 1ª fase para aquisição de entradas

País espera arrecadar cerca de US$ 800 milhões (aproximadamente R$ 3,05 bilhões) com os entradas

Redação, Estadão Conteúdo

05 de julho de 2019 | 09h50

Os organizadores dos Jogos Olímpicos de Tóquio revelaram nesta sexta-feira que 3,22 milhões de ingressos foram vendidos na primeira fase de comercialização das entradas para pessoas residentes no Japão, com o evento tendo uma demanda por bilhetes superior ao imaginado.

O porta-voz do comitê organizador, Masa Takaya, disse que mais de 90% dos que se candidataram e foram sorteados adquiriram suas entradas. A procura, de acordo com os organizadores, é sem precedentes no Japão, com uma busca pelo menos dez vezes superior ao número de entradas disponíveis.

Por conta disso, um novo sorteio envolvendo os interessados de "algumas centenas de milhares de ingressos" para moradores no Japão será realizado no próximo mês. O número detalhado não foi revelado, mas envolverá apenas os bilhetes não vendidos na primeira rodada.

Os organizadores de Tóquio-2020 estão tentando satisfazer o público japonês. Mas simplesmente não existem ingressos suficientes diante da demanda. E também há informações de que a procura está sendo alta fora do país.

O Comitê Organizador da Olimpíada colocou 7,8 milhões de ingressos à venda, sendo que 70% estariam destinados aos residentes no Japão. O resto está à venda fora do país, ou vai para patrocinadores, comitês olímpicos nacionais e federações esportivas.

As projeções são de arrecadação de cerca de US$ 800 milhões (aproximadamente R$ 3,05 bilhões) com os ingressos para ajudar a bancar o orçamento operacional do Comitê Organizador de Tóquio-2020 de US$ 5,6 bilhões (R$ 21,3 bilhões). A maior fonte de renda são os cerca de US$ 3 bilhões (R$ 11,4 bilhões) pagos por mais de 60 patrocinadores japoneses.

Tudo o que sabemos sobre:
Olimpíada 2020 Tóquioingresso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.