Toru Hanai / Reuters
Toru Hanai / Reuters

Tóquio revela preços dos ingressos dos Jogos de 2020; mais caro custa R$ 10,3 mil

Valor mais barato para as competições esportivas será 2500 ienes (R$ 85) e para a cerimônia de abertura, 12 mil ienes (R$ 412)

Estadão Conteúdo

20 Julho 2018 | 12h34

O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Tóquio divulgou oficialmente nesta sexta-feira os preços do ingressos do grande evento, que terá a sua festa de abertura no dia 24 de julho de 2020 e será encerrado em 9 de agosto. Ao confirmar os valores das entradas por meio de um comunicado, a organização destacou que metade dos tíquetes serão vendidos ao custo de 8 mil ienes (cerca de R$ 275 na cotação atual) cada um.

+ COI aprova e divulga calendário de provas dos Jogos Olímpicos de Tóquio

+ A dois anos dos Jogos, construção de novo estádio olímpico está 40% concluída

+ Organizações dos Jogos de Tóquio-2020 e Paris-2024 assinam acordo de cooperação

A partir desta sexta, pessoas que residem no Japão já podem se cadastrar no site https://id.tokyo2020.jp/ para receber informações e alertas sobre emissões de bilhetes e, na primavera de 2019, poderão completar os seus pedidos por ingressos.

As entradas para as competições esportivas da Olimpíada terão preços que partirão de 2.500 ienes (cerca de R$ 85) e irão até o máximo de 130 mil ienes (aproximadamente R$ 4,4 mil). Já os valores para as cerimônias de abertura e de encerramento dos Jogos vão variar entre 12 mil ienes (algo em torno de R$ 412) e 300 mil da moeda japonesa (R$ 10,3 mil no câmbio atual).

Apesar dos preços que começam a ser conhecidos pelo público interessado em acompanhar a Olimpíada in loco, a organização de Tóquio-2020 informou que as condições de venda dos ingressos inicialmente se aplicam apenas aos que serão comercializados no Japão.

O Comitê Organizador da Olimpíada que ocorrerá na capital nipônica também informou que bilhetes especiais por uma "taxa simbólica" de 2.020 ienes (cerca de R$ 70) serão vendidos para famílias ou grupos de pessoas residentes no Japão, incluindo crianças, idosos ou portadores de deficiência. Esta taxa também será aplicável como parte de um programa escolar direcionado a mais de um milhão de alunos em todo o Japão.

Na parte final de seu comunicado, os organizadores ainda esclareceram que pessoas não residentes no Japão poderão enviar suas solicitações de ingressos para os respectivos comitês olímpicos nacionais de seus países ou para os revendedores autorizados de bilhetes. "Uma lista dessas organizações para cada país estará disponível no site de Tóquio-2020 (https://tokyo2020.org/en/) na próxima primavera. O preço dos bilhetes e o seu processo de obtenção podem diferir de acordo com os países, embora o esquema seja semelhante ao sistema em vigor no Japão", alertou a organização.

Parceiro exclusivo dos Jogos Olímpicos há 32 anos, a Visa será a única bandeira de cartão autorizada para pagamento dos ingressos pela internet e nas bilheterias em Tóquio. Os organizadores ainda informaram que as diretrizes para compra de entradas para a Paralimpíada de Tóquio serão anunciadas em agosto.

 

Mais conteúdo sobre:
Olimpíada 2020 Tóquio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.