Treinador acusa Casaquistão de 'comprar' luta do tae kwon do

Após ser eliminado do combate pelo bronze, lutador cubano agrediu o juiz e foi banido junto com o técnico

Efe,

23 de agosto de 2008 | 12h11

O técnico cubano de tae kwon do Leudis González acusou a equipe do Casaquistão de "comprar" o combate pelo bronze na categoria acima de 80 quilos, nos Jogos Olímpicos de Pequim. O cubano Ángel Valodia Matos, pupilo de González, foi eliminado deste combate contra o cazaque Arman Chilmanov por decisão do árbitro sueco Chakir Chelbat.      Veja também:  Cubano agride árbitro no tae kwon do e é excluído do esporte   "Os casaques compraram os juízes, e me ofereceram dinheiro", disse González aos jornalistas que esperavam sua saída e a de Matos na zona mista do ginásio da USTB da capital chinesa. "O árbitro, logicamente, está comprado", disse González, enquanto Matos saía sem dar declarações.   A Federação Internacional de tae kwon do decidiu banir o lutador cubano depois que ele agrediu um dos juízes ao fim do combate, e estendeu a punição a seu treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.