Tribunal se recusa a julgar casos de Diego e Rafinha

Apelação dos clubes alemães Schalke 04 e Werder Bremen foi impetrada com base na Carta Olímpica

EFE,

30 de julho de 2008 | 15h59

O Tribunal Arbitral do Esporte (TAS, na sigla em francês) se declarou nesta quarta-feira incompetente para julgar a apelação apresentada por Schalke 04 e Werder Bremen, da Alemanha, em relação à liberação do lateral-direito Rafinha e do meia Diego, respectivamente, à seleção olímpica brasileira de futebol que disputará os Jogos de Pequim, am agosto.Veja também: Fifa manda clubes liberarem atletas sub-23 para as Olimpíadas Laporta confirma que Barça recorrerá ao TAS sobre 'caso Messi' Messi insiste em ir aos Jogos sem esperar recurso no TAS Fifa obriga Barcelona a liberar Messi para os JogosOs dois jogadores ignoraram os pedidos de suas diretorias e se apresentaram ao técnico Dunga no início da semana passada. As equipes alemãs recorreram ao TAS e basearam seu recurso na Carta Olímpica. No entanto, o Tribunal considerou que ela "não pode ser aplicada diretamente a clubes de futebol".Nesta quarta, o tunisiano Slim Aloulou, juiz único da Comissão do Estatuto do Jogador da Fifa, obrigou o Barcelona, da Espanha, a liberar o meia-atacante argentino Lionel Messi para a disputa em Pequim.O Comitê de Urgência da Fifa decidiu que a liberação de jogadores com menos de 23 anos para o torneio de futebol dos Jogos Olímpicos é obrigatória.No entanto, como Schalke e Bremen apresentaram uma nova apelação após a decisão da entidade máxima do futebol, o TAS ainda terá que fazer uma nova análise do caso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.