Único europeu no evento-teste do tênis de mesa leva o ouro no Rio

O evento-teste do tênis de mesa, no Riocentro, atraiu poucos jogadores estrangeiros, em sua maioria sul-americanos. Só um atleta atravessou um oceano para chegar ao Rio, o inglês Paul Drinkhall, que foi recompensado ficando com a medalha de ouro do torneio. Número 57 do ranking mundial, ele venceu a final contra o brasileiro Thiago Monteiro (123.º), esta noite.

Estadão Conteúdo

19 de novembro de 2015 | 22h33

O dia não foi bom para o Brasil, uma vez que, na disputa pelo bronze, o argentino Gaston Alton (254.º) venceu o Cazuo Matsumoto (132.º). Eric Jouti, Humberto Manhani e Jeff Yamada ficaram nas quartas de final. Hugo Calderano (71.º) e Gustavo Tsuboi (41.º), os dois principais jogadores do País, não vieram ao Brasil para participar do evento-teste.

No feminino, só deu Brasil, até porque o torneio teve a participação de oito brasileiras e três chilenas, apenas. E o Chile não tem nenhuma tradição na modalidade. Lin Gui (135.ª) ficou com o ouro, vencendo Letícia Nakada (229.ª) na decisão.

Ligia Silva (180.º), veterana do tênis de mesa brasileiro, foi surpreendida por Nakada e também pela menina Bruna Takahashi, de 15 anos. Campeã mundial cadete e já 141.º do mundo no adulto, Bruna ficou com bronze. Caroline Kumahara (140.ª) estava inscrita, mas deu W.O.

A competição, que não vale pontos para o ranking mundial, tem continuidade na sexta-feira e no sábado com o torneio por equipes. No masculino, são seis times brasileiros, um chileno e um argentino. No feminino, três "Brasil" e um "Chile".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.