Nathalia Garcia/Estadão
Nathalia Garcia/Estadão

Vacina é obrigatória aos jamaicanos que vão aos Jogos do Rio

Atletas do país precisam estar prevenidos da febre amarela

Nathalia Garcia - Enviada especial a Kingston, O Estado de S.Paulo

04 de julho de 2016 | 11h30

Tomar a vacina contra febre amarela é obrigatório aos atletas, técnicos e oficiais da Jamaica que vão aos Jogos Olímpicos do Rio. O recrutamento dos jamaicanos foi anunciado nos alto-falantes do Estádio Nacional, em Kingston, logo após o fim da seletiva do atletismo na noite de domingo.

"Estamos seguindo a recomendação da OMS (Organização Mundial de Saúde). Como estão todos os atletas reunidos aqui, aproveitamos para criar este posto e garantir que ninguém tenha problema", explicou Warren Blake, presidente da Associação Jamaicana de Atletismo (JAAA).

Como muitos atletas e suas comissões técnicas devem deixar a Jamaica após o término da seletiva, a entidade tentou facilitar o processo ao usar uma sala médica no estádio como posto de vacinação. Uma fila de espera foi organizada no corredor de acordo com a ordem de chegada das pessoas.

A funcionária responsável pelas inscrições contou 61 nomes em seu caderno por volta das 21h30 (no horário local) de domingo. Campeão dos 100 metros e dos 200m na seletiva jamaicana, Yohan Blake foi o atleta número 62 da fila. Elaine Thompson, que abandonou a disputa dos 200m, também apareceu no local para tomar a vacina.

PARTICIPE

Quer saber tudo dos Jogos Olímpicos do Rio? Adicione o número (11) 99371-2832 aos seus contatos, mande um WhatsApp para nós e passe a receber as principais notícias e informações sobre o maior evento esportivo do mundo através do aplicativo. Faça parte do time "Estadão Rio-2016" e convide seus amigos para participar também!

* A repórter viaja a convite do Escritório de Turismo da Jamaica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.