Jean Christophe| EFE
Jean Christophe| EFE

'Vai ter Olimpíada', diz presidente do COI após impeachment de Dilma

Thomas Bach garante que 'há forte apoio aos Jogos no Brasil'

Jamil Chade, Estadão Conteúdo

12 de maio de 2016 | 08h35

"Vai ter Olimpíada." Foi dessa forma que o presidente do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach, reagiu na manhã desta quinta-feira ao ser questionado sobre o impeachment da presidente Dilma Rousseff e seu impacto para o evento que ocorrerá no Rio de Janeiro em agosto. 

"Há um forte apoio pelos Jogos Olímpicos no Brasil e estamos com expectativas de trabalhar com o novo governo para realizar uma Olimpíada de sucesso no Rio", disse. Nas últimas semanas, o rompimento entre o prefeito do Rio, Eduardo Paes, e o governo de Dilma Rousseff estava causando certa preocupação aos dirigentes, principalmente diante da incapacidade de levar os diferentes níveis de governo a dialogar. 

"Os Jogos Olímpicos trarão legados tangíveis e darão uma importante oportunidade para unir o povo do Brasil, seja qual for sua condição ou visões políticas", defendeu Bach. "Esse será um momento para o Brasil mostrar ao mundo sua determinação para superar a presente crise. Haverá Olimpíada no Brasil", insistiu, adotando um discurso otimista para a reta final de preparação do Rio para a Olimpíada.

"A preparação para os Jogos entra agora numa fase muito operacional e problemas como esse tem uma influência muito menor que em outros estágios da organização dos Jogos", disse. "Vimos grande progresso no Rio e continuamos confiantes sobre o sucesso do evento em agosto", afirmou.

"O povo brasileiro realizará Jogos memoráveis, cheios de paixão pelo esporte, pelo qual eles são conhecidos em todo o mundo", concluiu o presidente do COI.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.