Loic Venance/AFP
Loic Venance/AFP

Veja o que assistir dos Jogos Olímpicos na noite deste domingo e madrugada de 2ª: tem mais Rebeca

Brasil volta à ação em algumas modalidades, com na final da prova de solo na ginástica artística e nas argolas, com Arthur Zanetti

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de agosto de 2021 | 18h26

A noite de domingo no horário brasileiro reserva algumas provas interessantes dos Jogos Olímpicos, lembrando que a competição entra na sua reta final. A festa de encerramento de Tóquio-2020 está marcada para o dia 8. O Brasil ainda tem metas estabelecidas e a proximidade de algumas medalhas. O Comitê Olímpico do Brasil (COB) estipulou 20 conquistas no Japão. O time tem dez pódios por enquanto.

Às 23h, Brasil e França se encontram pela quinta rodada do handebol feminino. O Brasil perdeu a segunda consecutiva na fase de grupos na rodada anterior. A Suécia venceu por 34 a 31. Ao todo, as comandadas de Jorge Dueñas estão com três pontos e na briga para avançar às quartas de final. Precisa de um empate contra as francesas.

O atletismo continua sua maratona classificatória, com provas nos 200m rasos, para mulheres, por exemplo. Mas nesta disputa não haverá a participação de atletas do Brasil. Situação parecida para o salto em distância, que começa às 22h20, na versão masculina. É final. Portanto, vale medalhas. Mas sem representantes do Brasil. O Estadão destaca alguns eventos da noite deste domingo e madrugada de segunda-feira para você.

Canoagem

  • 22h

Isaquias Queiroz começa neste domingo, às 22h05, sua caminhada nos Jogos de Tóquio-2020 por mais duas medalhas olímpicas. Ao lado do parceiro Jacky Godmann, ele disputa as eliminatórias do C2 1.000m na canoagem velocidade e tenta uma vaga na final. Quatro dias depois eles ainda vão competir na prova individual, no C1 1.000m.

Handebol

  • 23h

Brasil e França se encontram pela quinta rodada do handebol feminino. O Brasil perdeu a segunda consecutiva na fase de grupos na rodada anterior: 34 a 31 para a Suécia. Mas ainda tem chance de se classificar entre os quatro do grupo. Basta empatar com a França.

Levantamento de peso

  • 23h50

A prova é para atletas de até 87kg. Vale pelo Grupo B da disputa. São cinco competidoras, uma delas a brasileira Jaqueline Antonia Ferreira. Jaqueline deve ser a quarta a se apresentar.

Atletismo

  • 22h20

O atletismo continua sua maratona classificatória, com provas nos 200m rasos, para mulheres. Mas nesta disputa não haverá a participação de atletas do Brasil. Situação parecida para o salto em distância, que começa às 22h20, na versão masculina. É final.

Vôlei

  • 23h05

Duas partidas movimentam a modalidade na noite deste domingo entre as equipes femininas: EUA x Itália e Sérvia x Coreia do Sul (mais cedo, a partir das 21h). As partidas valem pela quinta rodada do torneio. É boa dica para conhecer um pouco melhor os possíveis rivais do Brasil em Tóquio.

Vôlei de Praia

  • 1h

Na madrugada de segunda-feira no horário de Brasília, a dupla formada por Evandro e Bruno Schmidt volta à areia de Tóquio a fim de se garantir nas quartas de final, mais perto das medalhas. Os brasileiros enfrentam os letões Martins Plavins e Edgars Tocs. Bruno passou por maus bocados com a covid-19 antes de chehar em Tóquio. Engana-se, portanto, quem pensa que a maior vitória do atleta foi o ouro olímpico conquistado no Rio, em 2016. Aos 34 anos, ele abre as oitavas de final celebrando a sua recuperação. "Passei o pior momento da minha vida em fevereiro e março. Covid não escolhe ninguém e sou prova disso. Quando saí do hospital, tinha quatro meses para voltar a ser um atleta", contou o jogador. Na reta final da preparação para a Olimpíada, em fevereiro, Bruno ficou 13 dias internado, sendo cinco deles na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), em um hospital de Vila Velha, no Espírito Santo, por causa de uma infecção pulmonar causada pelo novo coronavírus. Agora, tenta chegar às quartas de final.

Vela

  • 2h33

O Brasil tenta mais uma medalha nos Jogos de Tóquio com as velejadoras campeãs no Rio, Martina e Kahena. Elas fizeram provas de recuperação e conseguiram se juntar às rivais mais bem colocadas. Agora, esperando os ventos certos, podem ganhar o biolímpico. Seria uma façanha e tanto. São umas das favoritas, com chances boas de pódio.

Argola

  • 5h

Arthur Zanetti luta para tentar se tornar nesta segunda, a partir das 5h (horário de Brasília), o primeiro ginasta do mundo a conquistar medalha nas argolas em três edições consecutivas da Olimpíada. Ouro em Londres-2012 e prata na Rio-2016, ele garantiu vaga na final com a quinta melhor nota, o que o coloca bem posicionado na disputa por um lugar no pódio em Tóquio. Ainda mais porque o próprio Zanetti sabe que tem margem para melhorar em relação a sua última apresentação. O experiente ginasta de 31 anos saiu das classificatórias admitindo que cometeu alguns erros e ciente dos elementos nos quais precisa melhorar para poder conquistar uma medalha.

Ginástica

  • 6h

O Brasil vai acordar cedo para ver mais uma vez a queridinha do Brasil nos Jogos de Tóquio, Rebeca Andrade, dona de duas medalhas até agora, ouro e prata. Rebeca Andrade pode continuar fazendo história nos Jogos de Tóquio. No domingo, ela se tornou a primeira mulher do Brasil a conquistar dois pódios na mesma edição da Olimpíada. A atleta da ginástica artística ganhou a medalha de ouro no salto. Antes, já havia conquistado a prata no individual geral. Esta é a sexta medalha da ginástica artística brasileira na história olímpica. As outras quatro foram de homens: Arthur Zanetti nas argolas (ouro em Londres-2012 e prata na Rio-2016), e a dobradinha no solo dos Jogos do Rio com Diego Hypólito (prata) e Arthur Nory (bronze). Ela tem a chance de subir de novo no pódio. 

Futebol

  • 5h

Duas partidas definem a partir das 5h da manhã as finalistas do futebol feminino. Era para o Brasil estar numa dessas. Mas o time de Marta não conseguiu passar pelo Canadá, que joga contra os Estados Unidos (5h). Vai ser um bom jogo. No outro confronto, a Austrália mede forças com a Suécia (8h). Os vencedores vão para a final. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.