Veto a Robinho está ligado a uma transferência, dizem fontes

O veto do Real Madrid àparticipação de Robinho nos Jogos Olímpicos de Pequim estáligado a uma eventual transferência do atacante, segundo fontesda Confederação Brasileira de Futebol (CBF). "É lógico que tem a ver com a possível ida dele para outroclube", disse uma fonte nesta segunda-feira, referindo-se àsconversas entre o Real e o Chelsea, da Inglaterra. O Real solicitou a liberação de Robinho alegando uma lesãono púbis. O pedido, realizado no dia do embarque da seleçãopara um período de preparação para os Jogos em Cingapura,irritou dirigentes da CBF. Eles atribuem o veto ao empresário do jogador, WagnerRibeiro, e aos dirigentes do Real Madrid, que estariam maispreocupados com negociações com outras equipes. "Em breve, quando o assunto for concretizado vocês vãoentender por que ele não foi liberado", afirmou uma outra fontena CBF. Essa não é a primeira baixa na seleção que vai disputar osJogos da China. A entidade travou uma disputa com o Milan paraliberar Kaká, mas não teve sucesso. A cúpula da CBF chegou a acusar o jogador do Milan dedesinteresse em defender a seleção brasileira. "O Robinhosempre foi bem tratado na CBF e, quando o Real Madrid não estánem aí para ele, nós é que o recuperamos", afirmou a primeirafonte. Para a vaga de Robinho, o técnico Dunga convocou o meiaRamires, 21, do Cruzeiro. Pelas regras da Fifa, os clubes são obrigados a cedersomente os atletas de até 23 anos para disputar os JogosOlímpicos. No entanto, os problemas da entidade não serestringem aos "veteranos". O Werder Bremen, da Alemanha, não quer liberar o meiaDiego, que está dentro do limite etário. Outros jogadores comoRafinha, do Schalke 04, também estão encontrando dificuldadespara conseguir a liberação para os Jogos de Pequim. "Nós nos baseamos pelo regulamento ou seja, abaixo de 23tinha que liberar, mas o regulamento da CBF está igual a regrade futebol: cada um tem um interpretação", declarou outra fontena CBF. O Brasil terá dois jogadores acima da 23 anos nasOlimpíadas: Thiago Silva, do Fluminense, e Ronaldinho Gaúcho,do Milan.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.