Jack Guez/AFP
Jack Guez/AFP

Leandro Guilheiro cai nas oitavas no Mundial de Judô, em Astana

Já Mariana Silva perde na estreia para a chinesa Junxia Yang

Estadão Conteúdo

27 Agosto 2015 | 07h29

Três longos anos até o retorno a uma grande competição, o duas vezes medalhista olímpico Leandro Guilheiro foi ao tatame nesta quinta-feira no Mundial de Judô de Astana, no Casaquistão, mas perdeu nas oitavas de final. Seu rival pela vaga olímpica na categoria até 81 kg, Victor Penalber foi mais longe e está na repescagem.

Guilheiro fez uma delicada cirurgia de joelho, ainda em 2012, e ficou dois sem nem mesmo vestir um kimono. Desde que retornou, não teve bons resultados. Mesmo assim, entretanto, recebeu uma chance da Confederação Brasileira de Judô (CBJ) para mostrar o que sabe. Isso apesar de ocupar apenas o 66.º lugar do ranking mundial. Pelo regulamento do Mundial, cada país pode fazer duas "dobras" (dois atletas na mesma categoria) no masculino e outras duas no feminino.

O nível dele, entretanto, não reflete esse ranqueamento. Tanto que, na estreia, Guilheiro venceu Roman Moustopoulos, grego que ocupa o 16.º lugar do ranking. Na sequência, superou o polonês Jakub Kubieniec (69ª). Nas quartas, brigando por uma vaga na final, o brasileiro foi derrotado pelo sul-coreano Seungsu Lee (72.º). Terminou o Mundial em nono.

Já Victor Penalber, sexto do mundo, nunca teve um grande resultado na carreira e o tabu ainda pode ser quebrado em Astana. O carioca, pupilo de Flávio Canto, teve campanha mais longa. Passou por Sergiu Toma (10.º), dos Emirados Árabes Unidos, o moçambicano Marlon Acácio (119.º) e o usbeque Yakhyo Imamov (18.º).

O brasileiro só parou nas quartas de final, diante do francês Loic Pietri, campeão mundial de 2013 e terceiro do ranking. Na repescagem, luta contra Valeriu Duminica, de Moldova, que é apenas o 53.º do mundo. Depois, se vencer, pega quem perder do confronto entre o japonês Takanori Nagase e o georgiano Avtandili Tchrikishvili.

No feminino, Mariana Silva, que é a 11ª do ranking mundial, perdeu na estreia para a chinesa Junxia Yang. Ela dependia de um bom resultado no Mundial porque Ketleyn Quadros, medalhista olímpica em Pequim, subiu de categoria e também vai brigar por vaga olímpica entre as judocas de até 63 kg.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.