Victoria Lovelady jogará circuito europeu e se aproxima do Rio-2016 no golfe

Apenas número 508 do ranking mundial, a paulista Victoria Lovelady tem boas chances de se tornar, no Rio, a primeira brasileira a disputar o golfe nos Jogos Olímpicos. O País tem uma vaga garantida por naipe na edição de retorno da modalidade ao programa olímpico e Loverlady é a melhor qualificada entre as brasileiras.

Estadão Conteúdo

28 de dezembro de 2015 | 21h05

No fim de semana, a golfista paulista deu passo rumo ao Rio-2016 ao conquistar um cartão condicional de acesso para disputar o Ladies European Tour (LET), o principal circuito de golfe feminino da Europa. Ela, entretanto, falhou na tentativa de garantir um cartão integral, que lhe permitira disputar todos os torneios do LET. Ao terminar em 46.º lugar a seletiva, ganhou o direito de jogar apenas alguns dos eventos.

"Estou muito contente por terminar o ano melhorando a minha categoria para 2016. Isso vai me dar acesso a mais torneios", disse Lovelady, que tem 29 anos e é profissional desde 2010. Em 2014, ela chegou a jogar o LET com cartão integral, mas o perdeu para este ano e precisou jogar a divisão de acesso do circuito.

Lovelady disputa uma vaga no Rio-2016 com Miriam Nagl, que defendia a Alemanha, mas recentemente optou pela nacionalidade brasileira - nasceu em Curitiba quando os pais, alemães, trabalharam no Brasil. Ela é 603.º do ranking mundial, mas tem credencial integral para o LET. Miriam tem resultados melhores, mas ficou um período afastado, entre o ano passado e abril de 2015, para ter bebê.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.