Carlos Garcia Rawlins/Reuters
Carlos Garcia Rawlins/Reuters

Vôlei masculino consegue virada sobre a Argentina e vence a segunda nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Após sair perdendo por 2 a 0, equipe brasileira se impõe nos três sets seguintes e segue invicta no Grupo B

Redação, Estadão Conteúdo

26 de julho de 2021 | 13h27

A seleção brasileira masculina de vôlei teve de mostrar garra e superação nesta segunda-feira para ganhar uma partida pela segunda vez nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. Depois de perder os dois primeiros sets, o time comandado pelo técnico Renan Dal Zotto reagiu e mostrou força para superar de virada a Argentina por 3 a 2 - com parciais 19/25, 21/25, 25/16, 25/21 e 16/14 -, na Ariake Arena, pelo Grupo B.

"Acho que o time demorou um pouquinho para acordar, igual ao jogo passado", disse o central Lucão, em entrevista à TV Globo, logo após a partida, lembrando que o Brasil começou mal também contra a Tunísia na rodada de estreia, no último sábado.

O maior pontuador da partida foi o argentino Bruno Lima, com 26 pontos. Pelo Brasil, a marca ficou com o cubano naturalizado Yoandy Leal, com 16. O ponteiro começou mal, com muitos erros no ataque e chegou até a ser substituído, como na estreia, por Douglas Santos no segundo set. Recuperou a confiança e foi importante na reta final ao acertar saques e ataques.

A vitória evita um drama antecipado na Olimpíada e dá um pouco de conforto na sequência da fase de classificação. No grupo mais difícil em Tóquio-2020, o Brasil ainda encara três favoritos ao pódio em busca de uma vaga nas quartas de final. Nesta quarta-feira, às 9h45 (de Brasília), enfrenta o Comitê Olímpico Russo. Depois, em sequência, pega Estados Unidos e França. Os quatro melhores de cada chave avançam.

O resultado positivo mantém o Brasil na parte de cima da tabela de classificação do Grupo B, ao lado dos russos - bateram os Estados Unidos por 3 sets a 1 -, também com dois triunfos. A seleção brasileira, porém, leva desvantagem no número de pontos: 6 contra 5. Abaixo, França (fez 3 a 0 na Tunísia) e americanos somam uma vitória cada. A Argentina tem um ponto e os tunisianos seguem zerados.

Em quadra, o Brasil enfrentou um velho conhecido de muitos jogadores. Marcelo Mendez, técnico da Argentina, marcou a história do Sada/Cruzeiro. No clube mineiro, ele esteve em 12 temporadas e disputou 55 campeonatos, com 39 títulos. O treinador deixou o País em março deste ano e assumiu a seleção argentina. Além disso, o auxiliar Horacio Dileo trabalhou no Vôlei Campinas-SP.

O jogo pegou fogo nos pontos finais, depois do empate em dois sets. A frieza dos brasileiros e sua maior concentração e menor desgaste físico fizeram a diferença.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.