AP
AP

Seleção masculina de vôlei luta, mas perde dos EUA no Rio

Adversários jogaram muito pressionados pela vitória

Antonio Pita, O Estado de S. Paulo

12 Agosto 2016 | 00h46

Em seu primeiro grande desafio na Olimpíada, o Brasil perdeu diante dos Estados Unidos por três sets a um, ontem no Maracanãzinho. Em jogo decisivo na luta por uma vaga na próxima fase, os americanos apostaram na força do saque e ataque sobre o Brasil, que não resistiu à pressão. Os brasileiros também pararam no alto bloqueio adversário.

Com o resultado, a seleção caiu para a terceira posição no grupo, atrás da França, que também perdeu uma partida, mas tem melhor saldo de sets vencidos. A Itália lidera o grupo com três vitórias e está praticamente classificada. Apenas quatro seleções passam à próxima fase, e Estados Unidos disputa com o Canadá a vaga.

O time de Bernardinho ainda esboçou uma reação no terceiro set, após melhorar a movimentação em quadra para desviar da marcação. A equipe também evoluiu nos bloqueios, reduzindo a pressão das cortadas americanas. Mas a melhora não se manteve no quarto set, quando os americanos voltaram a crescer no ataque para definir a partida.  

A reação, entretanto, ocorreu tarde. Nos dois primeiros sets, a equipe brasileira teve grande dificuldade para articular a defesa e contra ataques, diante da potência dos americanos. O ataque também sofreu com o bloqueio formado pelos gigantes Maxwell Holt e Aaron Russell, de 2,05cm, al Taylor Sander, com 1,96cm.  

O paredão exigiu dos levantadores brasileiros maior variedade e agilidade das jogadas. Wallace e Eder, bem marcados pelas pontas, só passaram a pontuar quando conseguiam explorar a altura do bloqueio adversário para isolar a bola da quadra. O central Lucão, que ainda se recupera de uma lesão no joelho, foi a opção encontrada pelo meio de rede.  

Apesar da derrota, a seleção brasileira teve serenidade durante a partida e soube encontrar espaços e alternativas aos bloqueios americanos. O time foi aplaudido pelo público ao deixarf a quadra.  No sábado, o time enfrenta o líder do grupo, a Itália.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.