AFP
AFP

Wada critica nomeação de Isinbayeva para órgão antidoping da Rússia

Isinbayeva não pôde competir nos Jogos do Rio devido à exclusão do atletismo russo por escândalo de doping

Estadao Conteudo

10 de março de 2017 | 18h18

A Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) se mostrou preocupada nesta sexta-feira com a nomeação de Yelena Isinbayeva como diretora do principal órgão antidoping da Rússia. A entidade mundial manifestou-se publicamente e criticou a reeleição da ex-atleta.

Isinbayeva havia sido apontada como diretora da Agência Russa Antidoping (Rusada) em dezembro e foi reeleita na última quinta-feira. A decisão desagradou a Wada, uma vez que a ex-atleta criticou a entidade publicamente diversas vezes e a acusou de perseguição ao esporte russo.

"A nomeação de Isinbayeva não é consistente com o roteiro estabelecido pela Wada para a reintegração da Rusada", se manifestou a entidade mundial. "Enquanto é decisão das autoridades russas eleger seus membros diretivos, a agência deveria passar estas informações para um comitê independente para sua reavaliação."

Duas vezes medalhista de ouro olímpica e multicampeã no salto com vara, Isinbayeva não pôde competir nos Jogos do Rio, no ano passado, graças à exclusão do atletismo russo do evento por causa de um escândalo sistemático de doping no país. Na ocasião, a saltadora chamou a decisão de "violação dos direitos humanos".

Isinbayeva, aliás, classificou a investigação do doping no esporte russo como "complô" e cobrou que os supostos denunciantes do esquema fossem banidos do esporte. Ao ser reeleita na quinta, ela prometeu "defender nossos atletas" em casos similares, mas, em compensação, garantiu que vai seguir o programa de reformas liderado pela Wada.

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos Olímpicosdoping

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.