Christinne Muschi|Reuters
Christinne Muschi|Reuters

Wada revela ter identificado 400 casos de doping com ajuda de delatores

Delações começaram a surgir com mais força em março do ano passado, quando a Wada abriu um canal de comunicação para receber as informações de forma anônima

O Estado de S.Paulo

05 Outubro 2018 | 15h50

A Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) revelou nesta sexta-feira que registrou 400 casos de doping nos últimos meses, com a ajuda de delatores. As delações foram estimuladas a partir das denúncias de doping no esporte russo, que teve as investigações baseadas em dados revelados por informantes.

As delações começaram a surgir com mais força em março do ano passado, quando a Wada abriu um canal de comunicação para receber as informações de forma anônima. O alemão Günter Younger, chefe da unidade de investigação da entidade, afirmou nesta sexta que ficou "sobrecarregado" pelas quantidade de denúncias sobre doping e também sobre acobertamento destes casos.

"Cada vez mais delatores vêm até Nis e dizem: 'agora estamos felizes por termos alguém com quem conversar a respeito'", afirmou Younger, que é policial e investiu os casos de doping na Rússia antes de assumir a atual função na Wada. "Eu achei que surgiriam algumas denúncias, mas temos tantas agora. São 400 casos registrados."

O dirigente da Wada não revelou detalhes sobre casos específicos e nem citou nomes de atletas citados nas denúncias. Mas antecipou que há "muitos" russos mencionados. "Foram os russos que derrubaram o sistema deles. E precisamos reconhecer isso e também ajudá-los a se tornarem atletas limpos."

Em entrevista coletiva concedida em Buenos Aires, na véspera da abertura dos Jogos Olímpicos da Juventude, os dirigentes da Wada também comentaram sobre a invasão do sistema promovida por parte de integrantes da inteligência militar da Rússia. Tanto Younger quanto James Fitzgerald, porta-voz da Wada, afirmaram que a entidade deu suporte à avaliação de autoridades norte-americanas para manter a segurança das informações sobre doping.

Há dois anos, russos tentaram invadir o sistema da Wada na tentativa de alterar os dados de atletas do país. "Não temos motivo para discordar desta avaliação. E, de fato, estamos acompanhando tudo", declarou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.