Yane inicia preparação para a Olimpíada e critica expectativa por medalha

Medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, Yane Marques já está a caminho do Rio. A pentatleta voltou de férias esta semana e iniciou os treinamentos que vão culminar com sua participação na próxima edição da Olimpíada, em agosto do ano que vem. Daqui até lá, não há mais descanso para a pernambucana de 31 anos, terceira colocada no Mundial de Pentatlo Moderno em junho e campeã dos Jogos Pan-Americanos um mês depois.

Estadão Conteúdo

28 de outubro de 2015 | 12h57

A temporada chegou ao fim com o quarto lugar nos Jogos Mundiais Militares, no início do mês. Após competir na Coreia do Sul, Yane tirou férias e volta agora para iniciar uma nova temporada. Novas competições, entretanto, só no ano que vem.

"Tenho que fazer a base, depois fazer o que a gente chama de período específico, que é quando intensificamos os treinos, e, então, fazer o polimento, que é baixar a intensidade para chegar bem na competição. É necessário tempo para fazer uma preparação bem feita", explica.

Em entrevista ao site do Governo Federal para o Rio-2016, Yane mostrou sua insatisfação com a forma como os resultados são cobrados pelos brasileiros. Lembrou que poucos acompanhavam sua performance antes de Londres e que, agora, exigem uma medalha de ouro ou prata.

"Quando eu fui medalhista em Londres, só eu e uma alemã tínhamos conseguido nos manter entre os Top10 nos dois anos anteriores. Depois da medalha, uma repórter me perguntou como foi que eu me sentia com a surpresa da medalha. Para mim, não tinha sido surpresa. Eu era uma das 15 atletas que tinha chance e consegui. E hoje, como já ganhei uma medalha de bronze, as pessoas criam expectativa. Acham que tenho que ganhar uma de prata ou de ouro. Se não conseguir, vem a frustração", criticou.

Apesar do bronze no Mundial, Yane não fez grande temporada, ficando longe das primeiras colocadas nas etapas de Copa do Mundo. Falando sobre seus planos para o Rio, trocou a expectativa de medalha pela possibilidade de atingir tal feito. "Não espero conquistar outra medalha no Rio. O que espero é chegar lá em condições de fazer isso de novo, com foi em Londres."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.