Divulgação
Divulgação

Yane Marques supera Serginho e Scheidt e será porta-bandeira do Brasil

Escolha foi feita em uma votação popular realizada pela internet

Gonçalo Junior, enviado especial ao Rio, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2016 | 22h06

A pentatleta Yane Marques vai entrar no Maracanã lotado, na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de 2016, carregando a bandeira brasileira. Em uma votação popular realizada pela internet, Yane superou Serginho, do vôlei, e o velejador Robert Scheidt para a escolha do porta-bandeira. O resultado da votação foi apresentado pelo programa Fantástico, da Rede Globo, na noite deste domingo.

De acordo com o Comitê Olímpico Brasileiro, ela superou o segundo colocado por 10%. Os porcentuais totais não foram divulgados. O resultado foi considerado uma surpresa até pela própria vencedora. "Foram algumas surpresas. A primeira foi a indicação e agora o resultado. Esperar? Claro que não. Concorrer com as feras que eu admiro demais. Mas transbordando alegria", disse Yane à Rede Globo.

"(A escolha) representa muito. Carregar a bandeira já é situação honrosa. No seu país, país-sede e todo mundo lhe assistindo e sabendo que a Olimpíada traz um pouco desse valor de união das pessoas, dos povos, das nações. Eu quero ser uma porta-bandeira muito alegre e talvez uma porta-voz desse sentimento de todos os brasileiros de que o País, através do esporte, se una mais", completou a vencedora da medalha de bronze no pentatlo nos Jogos de Londres-2012.

Yane será a segunda mulher na história da participação brasileira olímpica a conduzir a bandeira. A primeira foi Sandra Pires, do vôlei de praia, porta-bandeira em 2000 nos Jogos de Sydney. A cerimônia de abertura acontece no próximo dia 5, sexta-feira, no Maracanã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.