Reprodução/Instagram
Reprodução/Instagram

Yasmin Brunet protesta após derrota de Medina em Tóquio: 'Roubado na cara dura'

Mulher do brasileiro critica decisão dos juízes após surfista terminar competição na 4ª colocação

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2021 | 05h11

Abatido e com o semblante de poucos amigos, Gabriel Medina deixou o mar de Tsurigasaki nitidamente frustrado com a perda da medalha de bronze na Olimpíada de Tóquio. A sensação de injustiça pela perda do pódio gerou protestos de sua mulher, Yasmin Brunet, que foi às redes sociais protestar. Vetada pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) para acompanhar o marido na capital japonesa, ela acompanhou a competição de casa. 

"Estamos do seu lado e não vamos fingir que não vimos o que aconteceu. Foi roubado na cara dura", escreveu Yasmin. "Só gostaria muito que alguém se posicionasse e te defendesse", completou. 

Gabriel Medina disputou a medalha de bronze na manhã des após ser eliminado na semifinal pelo japonês Kanoa Igarashi. Em bateria acirrada, o brasileiro foi superado pelo australiano Owen Writght por 11,97 contra 11,77.  Atual líder do ranking mundial, o brasileiro sinalizou em entrevista à TV Globo que não concordou com a decisão dos juízes, tanto na semifinal quanto na briga pela 3ª colocação. 

"Infelizmente não deu. Vou voltar pra casa e descansar. É difícil passar o ano treinando e se esforçando e acontece isso. Minha parte eu fiz. Tem coisas que não dá para entender, mas tinha que ser assim", disse. "É difícil esperar dos outros."

O fim da trajetória de Gabriel Medina em Tóquio acontece após o longo imbróglio do casal com o COB. Segundo a entidade, a negativa à presença de Yasmin na Olimpíada ocorreu por causa dos rígidos protocolos para evitar o contágio pela covid-19, sendo permitido aos atletas levar somente uma pessoa para a capital japonesa. Entretanto, eles afirmam que outros competidores tiveram liberdade para escolher quem preferiam levar para os Jogos. 

A competição de surfe masculino na Olimpíada de Tóquio terminou com o ouro do brasileiro Ítalo Ferreira. O potiguar se tornou o primeiro campeão olímpico da modalidade. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.