Fernando Soutello/ Rio2016
Fernando Soutello/ Rio2016

Zagallo e Parreira conduzem fogo olímpico e tocha 'surfa' na Praia da Macumba

Aos 84 anos, Zagallo conduziu a tocha sentado em uma cadeira de rodas

Clarice Cudischevitch, Rio de Janeiro, O Estado de S.Paulo

04 de agosto de 2016 | 12h52

Os ex-técnicos da seleção brasileira Zagallo, muito combalido e em cadeira de rodas aos 84 anos, e Carlos Alberto Parreira, o ex-jogador de vôlei Fernandão, a velejadora Isabel Swan e a atriz Sheron Menezzes foram alguns dos condutores da Tocha Olímpica na manhã desta quinta-feira. 

A passagem da Tocha continua na manhã desta quinta-feira, 4, na zona oeste do Rio de Janeiro. A chama foi levada por condutores pela orla do Recreio e Barra da Tijuca e chegou a surfar com  Rico de Souza na Praia da Macumba. Emocionado, o surfista chorou.

Diferentemente desta quarta-feira, quando a passagem da chama olímpica na Baixada Fluminense foi marcada por tumulto, protestos e o uso, pela polícia,  de balas de borracha e spray de pimenta, não foram registradas manifestações. Um carro, porém, furou o bloqueio do Tour da Tocha e invadiu o comboio, no Recreio.

A tocha havia acabado de passar na altura do Posto 10 da Praia do Recreio quando um homem entrou com o carro no meio do combo de veículos militares.  O subsecretário de esportes do Estado do Rio, Cyro Delgado, estava no local e registrou parte do incidente em vídeo. Segundo Delgado, o motorista estava aparentemente embriagado. No vídeo, é possível ver uma garrafa de uísque no banco do carona, além de latas de energético. Policiais pediram ao homem que se retirasse, mas ele se recusou. Acabou preso e levado à força. 

PROTESTOS

A Prefeitura de Nova Iguaçu publicou uma nota em sua página do Facebook repudiando o revezamento feito ontem à noite na cidade, que foi o último destino do dia a receber a tocha. De acordo com a nota, houve um atraso de mais de cinco horas e o esquema de segurança foi pouco eficiente. Em protesto, moradores jogaram lixo no comboio. O texto afirma, ainda, que por causa dos protestos, a organização acabou adiantando o encerramento do percurso.

O Comitê Rio 2016 respondeu à nota publicada pela prefeitura de Nova Iguaçu:

"Por recomendação de segurança, a organização do revezamento da tocha foi obrigada a modificar percursos, ontem, na Baixada Fluminense. Infelizmente isso provocou alterações de horário e atraso na chegada do comboio à cidade de Nova Iguaçu, última do dia. O revezamento foi realizado mesmo assim e não houve cancelamentos. Em respeito aos participantes, pelo adiantado da hora, optamos por diminuir os trechos dos condutores, buscando minimizar o atraso sem prejuízo da festa. Agradecemos aos moradores de Nova Iguaçu pela compreensão e entusiasmo com a passagem do símbolo de paz dos Jogos Olímpicos."

PARTICIPE

Quer saber tudo dos Jogos Olímpicos do Rio? Adicione o número (11) 99371-2832 aos seus contatos, mande um WhatsApp para nós e passe a receber as principais notícias e informações sobre o maior evento esportivo do mundo através do aplicativo. Faça parte do time "Estadão Rio-2016" e convide seus amigos para participar também!

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.