Mark J. Rebilas/USA TODAY
Mark J. Rebilas/USA TODAY

Amanda Nunes derrota Ronda Rousey em 48 segundos e mantém cinturão do UFC

Brasileira não tomou conhecimento de um dos maiores ícones do MMA na luta principal do UFC 207

O Estado de S.Paulo

31 de dezembro de 2016 | 07h40

A brasileira Amanda Nunes cumpriu o que prometeu na pesagem e calou o público que torcia para Ronda Rousey na T-Mobile Arena, Las Vegas, pela luta principal do UFC 207. Sem tomar um golpe sequer, a atual campeã dos peso-galo precisou de apenas 48 segundos para derrotar um dos maiores ícones do MMA com uma sequência de golpes e manter o cinturão da categoria.

A Leoa, como é conhecida a baiana de 28 anos, começou o confronto com o que tem de melhor: a explosão. Partindo para cima de sua adversária, Amanda Nunes conseguiu conectar vários socos em Ronda, que pareceu estar sem ritmo de luta por conta do mais de um ano que ficou afastada do octógono.

Depois de negar tocar as luvas no início do confronto, forma de cumprimento ao adversário, a norte-americana não conseguiu levar o confronto para solo, onde é sua especialidade. Visivelmente mais magra, ela até mostrou resistência e não chegou a cair em nenhum dos jabs e diretos certeiros recebidos, mas a luta teve que ser interrompida pelo árbitro Herb Dean ainda no primeiro round. Com a vitória garantida, Amanda Nunes colocou o dedo em frente a boca e pediu para o público se calar.

"Olha, eu realmente treino muito duro. Eu tenho um time que está comigo, olha esses caras aqui. Todos esses caras na academia fazem de mim uma grande lutadora. Tenho que agradecer a American Top Team. Estou em outro nível hoje. É incrível, a gente conversou porque ela fez muito pelo esporte, ela tem uma história. Mas agora eu sou a campeã. Vocês têm que parar com essas coisas de Ronda Rousey, agora a campeã é a Amanda Nunes", disse a brasileira.

Esta foi a primeira defesa de cinturão de Amanda Nunes, que se tornou campeã da categoria no UFC 200, quando derrotou Miesha Tate. "Sabia que a Ronda Rousey era grandiosa, mas ninguém vai tirar esse cinturão de mim. Em toda a minha preparação eu soube que ia ser a campeã. Estou preparada, treinei muito para essa luta. Eu treino para ela desde que entrei no UFC, sabia que ia acontecer e essa noite provei para todo mundo. Sou a melhor lutadora do mundo. Podem parar com essa coisa de Ronda Rousey, ela vai se aposentar, vai fazer filmes, e eu vou continuar. Vocês tem que olhar para outras meninas. Eu sou a campeã", provocou. 

 

SILÊNCIO   

Assim como ocorreu durante todas as coletivas e eventos de promoção da luta, Ronda Rousey não falou. 

Esta foi a segunda derrota de Rowdy dentro do UFC. Antes desta madrugada, ela havia perdido para Holly Holm no UFC 193 e disse que até pensou em suicídio. Ainda não se sabe se ela continuará no esporte ou vai priorizar sua carreira como atriz. Em novembro, em uma de suas poucas entrevistas antes do confronto ela afirmou para a apresentadora Ellen DeGeneres, no programa The Ellen Show, que estava cansada das preparações para as lutas e que estava fazendo uma de suas últimas apresentações. "Quero que todos assistam, pois o show não vai durar para sempre", disse à época.

UFC 207:

CARD PRINCIPAL

Amanda Nunes venceu Ronda Rousey por nocaute técnico aos 48s do R1

Cody Garbrandt venceu Dominick Cruz por decisão unânime (48-46, 48-47, 48-46)

TJ Dillashaw venceu John Lineker por decisão unânime (triplo 30-26)

Dong Hyun Kim venceu Tarec Saffiedine por decisão dividida (30-27, 28-29, 29-28)

Ray Borg venceu Louis Smolka por decisão unânime (30-27, 30-26 e 30-26)

CARD PRELIMINAR

Neil Magny venceu Johny Hendricks por decisão unânime (triplo 29-28)

Cara de Sapato venceu Marvin Vettori por decisão unânime (triplo 29-28)

Alex Garcia venceu Mike Pyle por nocaute aos 3m34s do R1

Niko Price venceu Brandon Thatch por finalização aos 4m30s do R1

A luta entre Tim Means e Alex Cowboy foi julgada sem resultado

Tudo o que sabemos sobre:
UFCMMAAmanda NunesRonda Rousey

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.