LE Baskow/AP
LE Baskow/AP

Anderson Silva se defende do doping nesta terça, em Las Vegas

Lutador brasileiro será ouvido pela Comissão Atlética de Nevada às 19 horas (de Brasília). Na quarta, Dana White falará sobre o caso

O Estado de S. Paulo

17 de fevereiro de 2015 | 10h29

Anderson Silva terá a oportunidade de se defender diante da Comissão Atlética de Nevada dos resultados positivos em exames antidoping que teve em janeiro, antes e após a luta de retorno ao UFC contra Nick Diaz. O lutador brasileiro é esperado na reunião da entidade, que tem horário de início marcado para as 13 horas locais, 19 horas de Brasília.

O ex-campeão dos médios foi flagrado em duas análises. A primeira foi num teste surpresa, realizado no dia 9 de janeiro, que apontou a presença de dois esteroides anabolizantes, drostanolona e androsterona. Anderson também foi  pego em exame do dia da luta com Nick Diaz, em 31 de janeiro. Mas nem a Comissão Atlética nem o UFC confirmaram o resultado deste teste.

 

Anderson, de 39 anos, poderá ser impedido de lutar por até dois anos.A punição poderá antecipar a aposentadoria de um dos atletas mais importantes do MMA. Além de ter sua vitória sobre Nick Diaz ser provavelmente cancelada, Anderson também deixará de receber a bolsa de US$ 800 mil (R$ 2,2 milhões) e ainda foi retirado do cargo de treinador do TUF 4, realizado em conjunto pela TV Globo e pelo próprio UFC. O “conselho” para a retirada de Anderson do programa foi da Comissão de Nevada.

Na quarta-feira, o presidente do UFC, Dana White, dará uma entrevista para falar sobre o caso. O dirigente afirmou ter ficado "arrasado" com o resultado positivo por uso de substâncias proibidas. "Quarta-feira teremos uma coletiva em Las Vegas, muita coisa ruim vai acontecer. Nosso principal assunto não será divertido, vamos falar sobre tudo o que vem acontecendo e como será daqui para frente."

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
lutasUFCAnderson SilvaDana White

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.