Josh Hedges/AFP
Josh Hedges/AFP

Anderson Silva testa positivo no antidoping por uso de esteroide

UFC lamenta resultado do exame do lutador brasileiro, que pode pegar uma punição de nove meses caso seja considerado culpado

O Estado de S. Paulo

04 de fevereiro de 2015 | 00h11

O mundo do UFC foi sacudido nesta terça-feira pela divulgação do resultado positivo de um exame antidoping de Anderson Silva, realizado pela Comissão Atlética do Estado de Nevada. O ex-campeão dos médios foi pego por uso de Drostanolona, cujos metabólitos foram detectados em um teste de urina.

Os testes foram realizados nos dias 9, 19 e 31 de janeiro, mas apenas no primeiro foram encontradas substâncias proibidas. Além da Drostanolona, também foi detectada a substância Androsterona, um outro esteroide que é aplicado via oral. Por tudo isso, é possível que a luta, vencida pelo brasileiro, seja declarada como "sem resultado".

Pelas regras, o lutador pode ainda solicitar uma contraprova, mas o UFC se disse decepcionado com a notícia. "O UFC é rigoroso e consistente em sua política contra o uso de drogas ilegais ou para melhorar a performance", declarou a entidade em nota publicada em seu site. O atleta pode receber um gancho de nove meses pelo doping. "Anderson Silva tem sido um grande campeão e verdadeiro embaixador do MMA e do UFC, no Brasil e no mundo. Estamos desapontados por esses resultados iniciais."

No ano passado, em entrevista ao site MMA Junkie, Anderson falou sobre doping no esporte. "Essa questão não é só ruim para mim, mas para o esporte em geral. Todo mundo ama o UFC, crianças, famílias e, com caras sendo pegos usando esteroides, isso é um problema. Quando pessoas testam positivo, não deviam mais lutar. Quem usa, faz por um bom tempo e mostra que tem um problema. Mas esteroide é uma droga e nunca uma droga pode ser boa para o esporte", afirmou na ocasião.

Nick Diaz, que já teve outro caso de doping na carreira, também foi pego por uso de maconha após a luta. A polêmica se dá em um momento que o UFC lida com outros casos de doping, como o do campeão dos meio-pesados Jon Jones, que em exame foi pego por uso de cocaína. Após a luta no fim de semana, quando venceu, Anderson fez questão de abraçar Jones e considerou o amigo o maior lutador da atualidade. Agora, ambos estão na mira da Comissão Atlética de Nevada.

REPERCUSSÃO

Kevin Iole, renomado jornalista de lutas norte-americano, foi o primeiro a escrever em sua conta pessoal no Twitter que Anderson Silva foi pego no exame antidoping por um tipo de esteroide que ajuda a definir a musculatura do corpo. O especialista também revelou que Nick Diaz, rival do Spider na luta principal do UFC 183, também foi flagrado pelo doping.

"Anderson Silva e Nick Diaz falharam no teste de drogas. Silva falhou em um teste pré-luta e Diaz depois do combate, para maconha. Silva foi pego por uso de Drostanolona em um teste antes da luta conduzido em 9 de janeiro. Diaz ultrapassou o limite para maconha em um exame após a luta", escreveu o profissional. Iole é um experiente colunista de boxe e MMA (Artes Marciais Mistas, da sigla em inglês) e costuma publicar seus textos nos Estados Unidos.



Tudo o que sabemos sobre:
UFCAnderson SilvaMMAlutas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.