Andrew Couldridge/Reuters
Andrew Couldridge/Reuters

Anthony Joshua fará sua estreia nos EUA contra Jarrell Miller em 1º de junho

Uma das lutas mais aguardadas no boxe mundial tem data e local confirmados

Redação, O Estado de S.Paulo

13 Fevereiro 2019 | 15h31

Um dos combates mais aguardados do boxe mundial já tem data e local confirmados. O britânico Anthony Joshua, campeão mundial dos pesos pesados pela AMB, FIB e OMB, defenderá os seus títulos contra o norte-americano Jarrell Miller no próximo dia 1.º de junho, no ginásio Madison Square Garden, em Nova York. Será a luta de estreia de Joshua nos Estados Unidos.

"Em 1.º de junho estarei na 'Big Apple' (Grande Maçã, apelido de Nova York) e planejo abraçar a cultura local e ir embora querendo mais. Lutarei contra Jarrell Miller no legendário Madison Square Garden. Tem sido uma honra e uma bênção lutar em alguns dos melhores lugares do mundo, em casa, no Reino Unido. E não menos importante no estádio de Wembley. Mas chegou o momento de cruzar o (Oceano) Atlântico e defender os meus títulos nos Estados Unidos", disse Joshua nesta quarta-feira.

O britânico tem um cartel de 22 vitórias, sendo 21 por nocaute, em 22 lutas como profissional. Todas elas realizadas no Reino Unido. Seus últimos cinco combates foram em estádios, com aproximadamente 400 mil espectadores no total. O de maior destaque foi contra o ucraniano Wladimir Klitschko perante 90 mil pessoas em Wembley, em abril de 2017.

"Estou ansioso para enfrentar outro desafio contra um boxeador, que fala muito, brilhante. Será uma luta emocionante. Não darei chance ao azar e planejo acabar com Miller com estilo para deixar a minha marca", completou Joshua, ironizando declarações dadas pelo rival norte-americano.

Miller também nunca perdeu como profissional. O boxeador nascido em Nova York ganhou 23 das 24 lutas que fez até agora - tem um empate também. E não quer deixar barato para o britânico. "Joshua está cometendo um terrível engano vindo aqui para me enfrentar no meu quintal. Ele quer aparecer para os norte-americanos, mas tudo o que está fazendo é deixando os seus cinturões na minha mão", afirmou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.